2

Sweet Porcorn with Chocolate!!! Hum…

chocolate drizzled caramel popcorn

Pipoca doce já é uma delícia, com chocolate, então… de dar água na boca! As crianças amaram e hoje vamos fazer mais uma vez.

Receitinha: Sweet Popcorn com chocolate

Ingredientes:

  • Milho de pipoca
  • Açúcar
  • Água
  • Óleo
  • Chocolate (ao leite, branco, meio amargo…)
  • Papel manteiga ou alumínio

Preparo:

1. Estoure a pipoca com água ou óleo como de costume e espalhe sobre uma folha de papel manteiga ou papel alumínio. (sem salgar)

img_9997

 

 

 

 

 

 

2. Derreta uma xícara de açúcar para fazer o caramelo e adicione aos poucos 50 ml de água filtrada. Caso precise de mais água, sem problemas, vai colocando até formar uma calda não muito grossa e nem rala demais.

caramel

 

 

 

 

 

 

3. Espalhe sobre a pipoca o caramelo com um garfo ou colher, em movimentos verticais e horizontais, cobrindo boa parte da pipoca.

img_0005

 

 

 

 

 

4. Derreta o chocolate e faça o mesmo movimento com a colher ou garfo, espalhando essa delícia derretida sobre a pipoca.

img_0009

 

 

 

 

 

5. Passe para uma tigela e é só saborear!

Existe uma variação, se você tiver paciência fica legal para festinhas de aniversário. É assim, na hora de caramelizar, faça bolinhas com as pipocas, pressionando-as na sua mão. Depois espalhe o chocolate. Fica super bonitinho, mas dá um trabalho! Eu vi essa ideia em um programa de culinária, e ainda não fiz. Quem fizer conta para mim!

dsc_0562

 

 

 

 

 

Gostaram? Então comentem e me contem como ficaram a receita de vocês. Beijinhos e um ótimo fim de semana 🙂

asupermammy.com

facebook.com/asupermammy

0

Os pés precisam de espaço.

Esses dias fui comprar sapatos para as crianças… de novo! Como crescem esses pequenos e chulezentos pés! Além do que chutar grama, pedras e canelas, também pede sapatos novos. Embora aqui a criançada usa o tênis até furar (e um vai passando para o outro), tive que ir às compras!

Mas comprar sapatos para crianças não é tão simples assim, e bate a maior dúvida sobre qual número comprar. Você já se perguntou: Como encontrar os sapatos certos para o seu filho? O que procurar na hora de comprar um par de tênis ou sandália? Eu não sabia que um simples sapato pudesse envolver  tantas dúvidas.

Nessa minha última compra de sapatos recebi uma aula de presente da vendedora e compartilho aqui o que ela me falou e o que eu pesquisei sobre comprar sapatos para as crianças.

cb3941a394Pular, correr, escalar, passear, caminhar, subir, descer, escorregar, rolar, dançar ou chutar – os pés das crianças sempre estão em movimento! Para que eles se sintam bem e confortáveis e para que cresçam e se desenvolvam de maneira saudável, as crianças precisam de sapatos que se encaixem perfeitamente.

Fuss_im_SchuhNem pequeno demais e nem grande, o ideal é que na hora de comprar os sapatos, os dedos tenham de 12 a 17 milímetros de folga.  Minha mãe apertava a ponta do sapato para ver se estava muito grande na hora de comprar, e é bem isso. Esse espaço da frente é importante para o conforto e postura adequada dos pés.

3 coisas a serem observadas na hora de comprar os sapatos:

  1. Tamanho certo.
  2. Apropriado para a função.
  3. Forma adequada.

Além do tamanho ideal, o sapato precisa ser compatível ao seu objetivo. Não me compre uma chuteira para fazer caminhada. Ou uma sandália de festa para aula de educação física. Minha sogra sempre fala que era difícil achar sapato para meu marido porque o pé dele era alto. Pois bem, verificar se o formato e o modelo do sapato é o correto para cada um ajuda a evitar danos para os pés e dedinhos._3339535

Itens importantes na hora de comprar sapatos:

1. Leve a criança sempre junto.

2. Compre no período da tarde ou noite, pois durante o dia os pés aumentam um pouco de tamanho, e se você comprar logo cedo corre o risco do sapato machucar depois.

3. Certifique-se de que os sapatos são adequados para a forma do pé do seu filho, altura e largura.

4. Verifique se existe algum zíper ou enfeite que machuque os pés e se a parte de trás do sapato é muito dura, porque pode causar lesões no calcanhar.

5. Não esquecer que os pés das crianças precisam de espaço, portando o sapato certo é aquele que sobra 12 a 17 milímetros na frente.

schuh-freunden_2555552Perguntas interessantes…

Ganhei sapatos usados da vizinha, eles são adequados?

Se respeitar o espaço para que os dedos fiquem livres, e a forma adequada para os pés das crianças, não existe problema em usar um sapato velho.

Para ficar em casa é melhor um sapato ou meias antiderrapantes?

Meias antiderrapantes é a melhor opção. Com as meias os pés ficam mais livres e podem movimentar-se mais.

É melhor um sapato grande do que um pequeno?

Nem grande e nem pequeno. O pequeno machuca, e pode danificar a formação e o desenvolvimento dos dedos. Os grandes podem causar quedas e não contribuem para o regular equilíbrio.

Quanto mais caro, melhor?

Não. Preço caro não é garantia de conforto. É importante respeitar o tamanho e a forma adequada.

Criança pode usar sapato com salto?

Não. O uso de sapato de salto em crianças pode causar problemas como joanetes e neuroma de Morton, além de torções  causadas pela queda. Gente pelo amor, criança corre, pula, dança, e o salto não ajuda, muito pelo contrário, só atrapalha. Além disso salto é para gente grande, vamos deixar a criança ser criança.

Qual o melhor tipo de sapato para as crianças?

“O sapato ideal é o tênis, com uma pequena elevação na parte de trás e, tanto quanto possível, as crianças deveriam andar mais descalças.” Renata Martins, fisioterapeuta.

schuhe_21155242E então, mamães? Gostaram? Espero que sim…

Beijos e até a próxima

🙂

asupermammy.com

facebook.com/asupermammy

0

Xiiiiiii … Piolho!

Um belo dia abri a pasta de recados dos meus filhos e lá estava um bilhete com a seguinte mensagem: “Verifiquem a cabeça das crianças pois temos casos de piolho na escola”. Imediatamente fui olhar e não é que os danadinhos estavam lá?!kopflaeuse-200px-200px

A experiência foi interessante, não que isso seja bom. Conversei com outras mães, com as professoras e nossa pediatra e vi que é possível combater esses danados sem o uso de inseticidas. Descobri que existem vários mitos relacionados ao piolho e explicarei aqui tudinho o que aprendi.

Piolho é sinal de sujeira?
Os piolhos são bichinhos que estão presentes nas cabeças das pessoas há muito tempo. Para se ter uma ideia, foram encontrados piolhos nas múmias egípcias há mais de 3.000 anos antes de Cristo, em pentes da época de Jesus e em múmias no Peru. Os piolhos estão presentes em todos os países, em qualquer região climática, em pessoas pobres e ricas de todas as etnias.

Piolho é sinal de sujeira? Não. Todos podem pegar piolho, as cabecinhas limpas e as sujas também. O mito sobre “piolho só aparece em quem não limpa os cabelos” existe porque se a pessoa não lava o cabelo com frequência, penteia, seca, etc… dificilmente notará as lêndeas e se acostumará com a coceira. Piolho se alimenta de sangue e não de comida.

Tenho sintomas se estou com piolho?
Sim! A principais seriam a coceira … que só de falar em piolho já dá, mesmo se você não tem nada. É incrível o poder desses pequenos bichinhos!!! E irritação do couro cabeludo, com o aparecimento de feridinhas na região da nuca, acima e atrás das orelhas.

O problema é que nem sempre os sintomas aparecem rápido. Na maioria das vezes eles costumam aparecer no mesmo dia ou no dia seguinte ao contágio, mas existem casos em que as coceiras começam apenas em uma ou duas semanas. E aí imaginem só… uma infestação! Afinal cada lêndea pode colocar muitos ovos em poucos dias, e eles vão nascendo e se reproduzindo… e formam uma cidade na nossa cabeça.

Por que coça?
A coceira inicia assim que o parasita pica para se alimentar. E são as substâncias da saliva do piolho que provocam essa reação. Eca!

Encontrei piolho no meu filho, e agora?
Passo a passo do que se deve fazer quando encontrar esses pequenos e indesejáveis intrusos na cabecinha do seu filho:

1. Avise a escola. Embora muitos pais tenham vergonha de falar sobre isso, principalmente por causa dos mitos e preconceitos em torno do bichinho, é de grande importância comunicar a professora sobre os piolhos. A infestação acontece rapidamente e o piolho passa de uma cabeça para outra quando as crianças se abraçam, usam o boné ou tiara uma das outras, e mesmo quando estão perto. Não avisar a escola significa que seu trabalho será perdido, pois você vai acabar com os piolhos do seu filho e logo ele pegará novamente.

2. Vá ao pediatra ou farmácia. Nunca em nenhuma hipótese use um produto na cabeça do seu filho por indicação de alguém ou por uma tradição. Uma vez ouvi uma história de que uma avó passou inseticida na cabeça de dois netos para combater piolho e eles vieram a falecer! Triste demais. Sim, o remédio que o médico indicará, muito provavelmente, contém inseticida, mas em níveis aceitáveis. Portanto busque ajuda de especialistas. Ou leia a partir do próximo item como tratar de maneira caseira, sem o uso de medicamentos.

3. Não deixe a cabeça de molho com vinagre. Vinagre é mais um dos mitos. Não existe nada comprovado de que deixar o cabelo de molho no vinagre mata piolho. Ao contrário, a cabeça ficará fedida e muitas crianças apresentam irritação no couro cabeludo e muito ardor, afinal o vinagre é muito ácido. Porém, borrifar vinagre diluído com água ajuda a desgrudar o piolho da cabeça, na hora de pegar um por um. Mas lave a cabeça da criança imediatamente após a retirada dessa praaaga!

4. Tratamento caseiro contra piolho: sufoque-os! Lave a cabeça das crianças com shampoo anti caspa (assim dá uma diminuída nas caspas, caso existam) e coloque bastante condicionador (creme rince) na cabecinha delas. Amarre um lencinho e coloque por cima uma touca plástica (de banho ou de piscina) e deixe abafado por no mínimo duas horas. Depois lave, penteie, penteie novamente com o pente fino e seque. Ah, claro inspecionar e inspecionar.

5. Pente fino neles! O pente fino ajuda a tirar os piolhos grandes, que são rápidos, espertos e se escondem enquanto procuramos e também, ajuda a retirar as lêndeas. Mas dói, então é melhor desembarçar antes, com um pente ou escova, para assim poder usar o pente fino.

6. Pegue um a um. Separe mechinha por mechinha bem “inha” mesmo e inspecione. Você perceberá que as lêndeas não desgrudam facilmente dos fios. Retire uma por uma e vá colocando num potinho com álcool ou em uma folha de papel higiênico. É demorado mas necessário.

7. Lixo e utensílios. Depois de retirar as lêndeas e piolhos jogue o papel ou o álcool no vaso sanitário e não no lixo comum, para evitar sua disseminação. Lave com água bem quente as roupas de cama, toalhas e camisetas da criança com piolho, além de higienizar bem os pentes.

8. Seque os cabelos. Não deixe o cabelo da criança com piolho secar sozinho. O ambiente úmido é ideal para a reprodução dos danadinhos. Seque bem. Dizem que usar a chapinha ajuda a matar os piolhos, acho isso lógico e fiz nas minhas crianças, afinal se eles morrem com água quente (a partir de 60 graus) porque não morreriam com a chapinha, que é muito mais quente? Li em um site que usar a chapinha estoura as lêndeas e espalha os piolhos, não achei problema, pois se isso for mesmo verdade os piolhos espalhados ficaram mortos com a temperatura da chapa. Mas cuidado! Crianças se mexem e podem se queimar com a chapinha…

9. Crianças inquietas. E por falar em crianças que se mexem, como manter as crianças quietas por tanto tempo? Coloque uma mesinha na frente delas e dê canetinhas, tinta, lápis de cor, papéis, jogos de memória, encaixe, livros para ler… e converse sobre o porque é importante tirar os piolhos.

10. Um trabalho que exige paciência… e muita! Essa dica é a melhor de todas. Sem paciência os piolhos voltam. As minhas costas ficaram acabadas, meu bumbum dolorido de ficar tanto tempo sentada numa cadeirinha de criança, mas é muito importante inspecionar. Três vezes no mínimo: a primeira assim que descobre a infestação, a segunda no dia seguinte e a terceira depois de sete dias, afinal da lêndea ao piolho demora uma semana.

“Paciência e dedicação são as duas palavras chaves. Os piolhos costumam vencer a batalha pois são mais pacientes e perseverantes do que nós!”

Lêndea e Piolho são a mesma coisa?

Não. Os piolhos são os bichinhos que botam ovos, e estes ovos são chamados de lêndeas. Tem vários tipos de piolhos:

  • Pediculus capitis: vive agarrado aos fios de cabelos e ataca o couro cabeludo, passando principalmente de uma cabeça para a outra pelo contato direto.
  • Pediculus humanus: infesta o corpo. Vive agarrado à roupa e é mais comum nos países frios.
  • Phthirus pubis: vive agarrado aos pelos da região genital, atingindo portanto homens e mulheres a partir da puberdade. Podem ainda viver nos pelos da parte inferior do abdome, coxas e nádegas.

Adulto também pega?

Sim, adulto também pega piolho. E dá o maior medão na hora que estamos tirando os piolhos das crianças. Portanto, faça um coque, coloque uma touca e mãos à obra.

Como ter certeza de que os piolhos foram embora?

O tratamento caseiro deve ser repetido a cada 2 ou 3 dias, por dez dias, mais ou menos. Mesmo se você achar que os piolhos já foram embora, continue examinando os cabelos uma vez por semana, uma lêndea que fica, se reproduz e aí começa tudo outra vez…. Também, fique atento aos primeiros sinais: coceiras!

Os maiores problemas causados pela infestação de piolhos nas crianças e jovens são: ficam irritados; o sono e a capacidade em se concentrar ficam prejudicados; o preconceito de outras crianças (ou mesmo adultos) pode gerar desconforto, vergonha, raiva, isolamento e segregação. Portanto deixe claro que isso é normal e pode acontecer com qualquer um. Ter piolho é chato, mas também não é nenhum bicho de sete cabeças! Não se envergonhe nem culpe as crianças.

laeusäööeDurante a minha experiência com os piolhos, que aconteceu em maio deste ano, aprendi que meus filhos podem entender bem os problemas e me ajudar com as soluções deles. Reclamaram mas ficaram pacientes por horas e horas, afinal tinham entendido que piolho atrapalha e muito.

Ontem, quando meu filho chegou no carro depois da escola, me disse assustado: “Mãe, de novo o bilhete dos piolhos!” … Chegamos em casa, examinei e não encontrei nada. Caímos na risada! Nessa hora o ditado se encaixou certinho: rir para não coçar, ops, chorar!

Abraços para vocês, queridas mamães!

asupermammy.com

facebook.com/asupermammy

0

A febre do Rainbow Loom!

Rainbow Loom: a mais nova sensação entre as crianças e adultos criativos! É um kit para fazer pulseiras de plástico, composto por elásticos, fechos, uma espécie de agulha de crochê e uma plataforma onde se cria os modelos.

O legal é que não é difícil de fazer os seus primeiros objetos e com a prática dá para inventar muita coisa bacana!! Os meus filhos adoram e eu também estou entrando na onda. O que você precisa? De um kit inicial, muitos elastiquinhos, além de um espaço (como uma mesa) para manusear as pecinhas e organizadores para guardar em ordem e longe dos bebês da casa!!

Fotor090391420

Onde comprar? Aqui na lojinha da Super Mammy você encontra o kit inicial e também os acessórios e complementos. É só clicar na nossa lojinha .

Com o kit Rainbow Loom você pode fazer pulseiras simples:

Fotor090384621

Pulseiras mais chiques:

Fotor090385129

Trocar a pulseira do seu relógio velho:

mickey-mouse-watch-rainbow-loomApoiadores para lápis:

hqdefault

Se aquecer no inverno:

Fotor090390253

Enfeitar os pés:

rainbow-loom-footware

Minions:

minion-rainbow-loom-bracelet-2Capa para o seu celular:

50063fabe3a763666e20d5562a5e47faBolsas e chinelos:

Fotor090390729

Roupas, por quê não?

Fotor09039090

O Darth Vader ou uma Bailarina para presentear amigos:

Fotor090394225

Sapatos e Biquinis:

Fotor090394117

Ou um Batman:

d9c91512855982a255c615f8c6d8f291

Simples? Nem tanto. Mas existem milhares de vídeos e tutoriais no you tube que ensinam passo a passo como montar esses encantadores badulaques. Pegue seu kit Rainbow Lomm e … mãos à obra!

 asupermammy.com

facebook.com/asupermammy

3

Como (não) criar um filho mimado, mandão e problemático.

Cuidar e proteger nossos filhos… até isso tem limite. Como é difícil educar, saber até que ponto devemos ir e em que caminhos devemos pisar. Escrevo isso porque sempre tive um pé atrás para aquela famosa frase: “colocar o filho numa redoma de vidro”. E vejo, cada dia mais, que os pais que evitam ao máximo o sofrimento e a frustração de seus filhos acabam criando para si problemas ainda maiores.

A proteção talvez seja uma reação natural de uma mãe para o seu filho. Queremos que a vida deles corra sem grandes problemas. A todo momento antecipamos perigos e tentamos retirar as pedras do caminho, pois sempre é mais tranquilizador imaginar uma estrada livre, em que o risco de queda é menor.

Nesta tentativa de que tudo seja perfeito, ou quase, esquecemos que é preciso alguma frustração, de algum problema, de algum conflito. Porque é certo que aprendemos muito com eles. Hora, você já tentou colocar seu filho de três anos no sofá e dizer: “hoje conversaremos sobre brigas na escolinha”? Nem tente, vai entrar por um lado e sair por outro. É preciso o desconforto do conflito para se aprender e para crescer.

Um simples não (e o respeito por ele) já é um obstáculo a ser encarado por nossos filhos pequenos. Conheço muitos pais que possuem uma dificuldade enorme em dizer não a seus filhos. Depois, estes mesmos encontram uma dificuldade enorme na hora de enfrentar as consequências da sua própria permissividade.
istock_000007734469large
É pelo excesso de permissividade, ou pelo excesso do medo que possuímos de deixar nossos filhos enfrentarem os desafios sozinhos, que nos deparamos com crianças e adolescentes sem limites, birrentos, donos do mundo.

Analisando o perfil de pais permissivos, vejamos que são eles quem mais compram presentes aos seus filhos, e dizem que é recompensa. Recompensa de que? Não entendo. Geralmente, as crianças que ganham tudo o que querem, possuem grandes dificuldades de auto controle e de gerir uma frustração. Estes filhos vão crescendo e os pais comentam: “Como é possível que meu filho, que sempre teve tudo, me dá cada vez mais problemas?”.

A questão é o que oferecer a eles? E não estou falando de qual brinquedo é melhor, não estou falando de coisas materiais. No mundo fútil que vivemos, cada dia mais é preciso refletirmos sobre o que realmente é necessário.

Meu marido comentou comigo sobre um livro, não me lembro certamente o nome agora, mas é algo do tipo: “Gastando com felicidade”, que mostra que comprar coisas deixam as pessoas tristes sem que elas percebam. Relacionei isso com o texto porque educar nossos filhos tendo como base “compras”, “recompensas materiais”, “shopping”, e afins é um grande perigo. Que tipo de felicidade queremos ensinar a eles? Baseado em que estão os nossos valores?

As vezes o medo que muitos pais possuem de seus filhos não gostarem deles, os faz serem mais amigos do que pais dessas crianças. Esse medo os levam a dizer sim, onde caberia um sensato não.

Para estes pais digo que o mundo precisa de nós. O mundo precisa dos nossos limites. Pergunte para qualquer professora se isso não é verdade. O medo de impor limite aos filhos, com medo de os perder, leva a um aumento exponencial do risco de isto vir a acontecer.

Portanto se você não quer criar um filho mimado, mandão e problemático, dê boas vindas aos conflitos e aos desafios que seus filhos precisam enfrentar sozinhos, transforme-os em canais de aprendizagem. Saiba que dizer não, mesmo que doa um pouco, educa e engrandece. Na hora de educar, deixe claro (para si próprio) que você é a lei. E por último, mas não menos importante, lembre-se: se alguma parte da sua vida (inclusive ser mãe) está sufocando outras partes é sinal de que alguma coisa diferente precisa ser feita. E refletir é um bom começo.

Ótimo fim de semana, queridas mamães!
asupermammy.com

Curta a nossa página!

facebook.com/asupermammy

0

Stockbrot!! O pão no espeto que faz o maior sucesso entre a criançada.

knackundbackStockbrot é mais uma das deliciosas e interessantes tradições aqui na Alemanha. A primeira vez que vi este pão sendo feito confesso que fiquei assustada. Também não é por menos. Imagem só uma festa na escolinha do seu filho, aí você chega lá e tem uma fogueira enorme e a criançada fica correndo em volta com galhos de árvores na mão. Depois eles correm até a professora e está enrola uma massa no galho da árvore e entrega outro espeto com uma salsicha enfiada. Então seu filho corre até a fogueira para assar o pão e salsicha e comer sozinho, sem te perguntar muita coisa. Caso eles estivessem na faculdade, então tudo bem, até poderia ser normal, rsrsrs, mas no maternal!? Ah… é muita emoção para o coração de uma mãe!!!

Com o tempo vi que as crianças aqui na Alemanha são mais livres e me acostumei. Hoje acho o máximo educar à moda alemã e tento ponderar as duas culturas, e aproveitar o que melhor as duas possuem a oferecer. Mas enfim, vamos ao pão?

Osterfeuer é uma festa tradicional na Alemanha que acontece na noite de sábado do fim de semana da Páscoa. Bairros se reúnem para socializar e comer algumas salsichas junto do pão assado no espeto, o famoso StockBrot. stockbrot_4

Esta tradição se expandiu a outras festividades, como por exemplo, em festinhas de escola. A ideia é saborear o pão em um momento de confraternização e socialização. Sempre acontece em épocas frias, ou seja, quase o ano inteiro é possível encontrar alguém fazendo este pão na brasa, que também é conhecido por aqui como pão francês, pão regional ou bolo de vara. Já na Suíça tem o nome de pão cobra!

Caso você venha para a Alemanha, dificilmente encontra-rá este pão à venda em alguma festinha. A tradição é de que seja algo entre amigos, colegas, vizinhos. Mas você não vai ficar com vontade porque eu vou passar a receitinha já e vocês podem preparar no próximo churrasco, por exemplo.

Receita do Pão na Brasa ou Stokbrot


Tempo de preparo: 10 minutos + tempo de repouso (+- 3 horas)                                                 

Calorias: 249 (por 100 gramas)

Custo: $

Nível de Dificuldade: Fácil

INGREDIENTES.                                                                                                                                              * 1 kg de farinha
* 2 quadradinhos de fermento biológico
* 500 ml de água morna
* 1 colher (de chá) de sal

foto studio

MODO DE FAZER.
1. Adicione o fermento com a água morna em uma tigela e dissolva-o.
2. Coloque o sal e a farinha. (você pode incrementar a receita com cubinhos de bacon ou presunto, ervas finas, cebolinha, … aproveite porque a hora de acrescentar é agora!)
3. Amasse e por dez minutos. A massa fica boa, não pegajosa.
4. Deixe descansar por 3 horas.
5. Enquanto isso pegue gravetos compridos de uma árvore (não venenosa por favor, heim?!) e enrole papel alumínio a partir da ponta até mais ou menos uns 30 com em cada uma das varetas.
6. Quando der a hora de pegar a massa, separe em bolas (pouco maior que um ovo de galinha).
7. Abra, formando uma salsicha, cada uma das bolinhas.
8. Enrole no espeto, sob o papel alumínio e pressione bem.
9. Depois é só colocar para assar na churrasqueira ou na brasa de uma fogueira! (passar uma manteiguinha de alho sob o pão antes de assar o Stockbrot dá um toque especial!)

Fotor0828104139

É uma delicia, as crianças AMAM e dá para bater um bom PAPO com essa turminha enquanto se espera para COMER este pão quentinho! Bom apetite 🙂

facebook.com/asupermammy

4

Banana Pops!!

Olhei para as bananas da fruteira e deu aquele estalo de preparar algo gostoso para as crianças, afinal hoje é sexta-feira e esse verão alemão de 16º está pedindo um chocolatinho. Banana Pops, que tal?

Fotor082216360

Você vai precisar de poucos ingredientes e o preparo demora menos de 10 minutos, te juro, veja só:
* Bananas
* Chocolate (qualquer um aí do armário: ao leite, meio amargo, branco,…)
* Palitos de churrasco ou de cake pops, sorvete, …)
* Granulados (de chocolate, coloridos, nozes triturada, amêndoas picadinhas, coco ralado, …)

Derreta o chocolate no banho maria e passe as bananas ou vá jogando o chocolate com uma concha. Não tem segredo, é só colocar o granulado predileto e deixar na geladeira por 30 minutos. Olhe essa variação que legal:

Fotor082216186

O nosso aqui de casa ficou assim:

Fotor082216262Mamães um super beijo e um final de semana bem docinho para vocês … e “pros” pitucos também!! 😉

asupermammy.com

1

Independência – O caminho que nossos filhos precisam trilhar desde pequenos … e sozinhos.

Muita gente pensa que quando os filhos nascem pouco tempo sobra para fazermos algo por nós mesmas. Na verdade, muitas mães acabam caindo numa dinâmica de stress na hora de educar os filhos. Conciliar a criançada com trabalho, casa e tudo mais, pode levar qualquer uma a beira da loucura!

Mas se analisarmos com calma as nossas práticas enquanto mães, educadoras e gestoras de um lar, veremos que muitos dos problemas são criados por nós mesmas. È duro de ouvir, mas é verdade. Quer ver só? Birra. Qual é mãe que nunca ouviu falar dela? A birra é um chiliquento e barulhento exemplo de um problema mantido por nós mesmas. asupermammy.com

Além da birra, hábitos como arrumar a cama, tirar os pratos da mesa, servir a comida para as crianças, trocá-los, penteá-los depois do banho, guardar os brinquedos, e tanto outros que diariamente fazemos automaticamente nos tomam tempo, energia e paciência.

Porque não atribuir pequenas e grandes tarefas a eles?

Você se encontra na situação de não ter tempo para nada? Então é hora de analisar quais das milhares das atividades que você faz todos os dias que podem ser feitas pelos seus filhos… sozinhos. Acredite, eles são capazes. No começo pode sair meio desajeitado, mas depois tudo se acerta.

Crianças gostam de fazer as coisas sozinhas. Colocar a comida no prato então, nossa a criançada se sente um adulto importante. Parece bobo? Esse sentimento de satisfação em cumprir uma tarefa sozinho e bem feita nunca desaparece de nós.

Por que não criar uma rotina diária de responsabilidades para as nossas crianças?

Faça uma lista e converse com eles, comece por algo na cozinha, diga que agora eles são grandinhos e conseguem fazer muitas coisas. Qual a idade para começar? Quantos antes melhor! Experimente ler: BABY LED WEANING

Uma criança independente sabe se virar melhor com os problemas da escola, entre os coleguinhas ou irmãos, e levam essa lição para toda a vida. Mas não se engane, o limite que damos aos nossos filhos e a firmeza com que cumprimos com nossa palavra os guiam nesse caminho da autonomia. Deixá-los agirem  independentemente não quer dizer criar filhos que não precisam de nós. Significa que precisamos aumentar a moldura do quadro, para que eles possam criar, agir, pintar e bordar em uma plano ainda mais amplo.

Domingo deixei meus mais velhos (8 e 6 anos) fazerem um bolo de caixinha totalmente sozinhos. Da escolha dos ingredientes a limpeza no final. Ajudei na hora do forno, afinal dar a oportunidade para eles serem independentes não quer dizer colocá-los em risco. E o resultado foi nota 10, nem sujaram muito e eu saboreei além do bolo, a delícia de vê-los satisfeitos em terem preparado sozinhos o nosso café da tarde. Fotografei a turma, vejam só:

asupermammy.com

Então é isso, nada de ficar andando pela casa pegando os brinquedos todos pelos chão. Eles podem fazer isso sozinhos. E você ganha mais tempo ao longo do dia para cuidar de si.

Termino com uma frase que li no livro “Crianças francesas não fazem manha”,  retirada de uma canção infantil francesa:

“Os pequenos peixes na água nadam tao bem quanto os grandes!”

Beijos e até a próxima!!

Já curtiu nossa página no facebook? http://www.facebook.com/asupermammy

2

Penteados para as mamães arrasarem até o fim da festa!

Penteados para as mamães arrasarem até o fim da festa? Hã? Como assim?

Esses dias fui a um aniversário e deixei meu cabelo bem bonito, solto e penteado. A festa estava ótima, as crianças se divertiram, conversei com os amigos, brinquei com as crianças, comida saborosa, tudo nota mil!

Quando vi as fotos no dia seguinte, quase caí do sofá. Eu estava totalmente descabelada! Também, ficar arrumada do início ao fim de uma festa não é lá uma missão tão simples para uma mãe de três!

Retocar o batom? Não dá. Até porque muitas vezes vou para a festa sem bolsa mesmo. Mala do bebê, carrinho, máquina fotográfica. Muita coisa para levar e sempre esqueço do batom. Menos quando saio com minha super mochila, vejam em “O que não pode faltar na bolsa da mãe”.

Passar no banheiro, olhar no espelho e ajeitar o penteado? Geralmente estou com um bebê no colo e uma fralda do outro lado. Até vejo que estou desarrumada, mas precisaria de uma terceira mão para conseguir dar uma ajeitadinha no visual!

Durante a festa é aquela agitação. Abaixa aqui, levanta ali, segura um, dá comida para outro e o cabelo armando… Então pensei comigo: Festa de cabelo solto? Agora só vou quando eu tiver uma babá ou quando eles crescerem um pouquinho mais.

Como os sapatos de salto alto já estão pegando pó aqui em casa, não posso relaxar mais! Então separei uns penteados fáceis, bonitos e PRESOS para poder usar e ficar bem na foto até o fim da festa!

O que acham desses aqui?

Eu gostei. Mas sou péssima quando o assunto é penteado e maquiagem. Não faço direito em mim e nem em ninguém. Pode ser que o resultado saia pior do que se eu fosse com o cabelo solto mesmo. Aí eu seria descabelada do início ao fim.

Este post teria sido encerrado no parágrafo acima, se não fosse a sabedoria infantil. Eis que minha filha apareceu aqui na sala e conversa vai, conversa vem, acabei mostrando as fotos dos penteados para ela e expliquei um pouquinho sobre este post. Ela disse que sou sempre linda (ai como a gente se derrete, né? Mesmo sabendo que é mentira!) e ainda disse que poderia me ajudar.

Então combinados assim: toda vez que eu estiver despenteada ela vem me arrumar. Mas se esse negócio de arruma aqui penteia ali ficar chato, nós vamos apenas nos divertir, nos esbaldar até ficarmos mais e mais descabeladas, desarrumadas e pingando.

E não é que ela está certa?!

Afinal de contas que graça tem chupar sorvete sem toda aquela meleca? O que seria da manga sem aquele sorriso bonito cheio de fiapos? Mais vale uma roupa suja de tanto brincar, do que limpinha e passada guardada na gaveta.

A infância voa e eu quero voar com eles.

Beijinhos e até a próxima!

 

0

As angústias de uma mãe na primeira viagem da filha com a escola. Reflexões de um coração apertado!

Os filhos crescem, eu sei. É normal, é natural, faz parte da vida, que assim seja para sempre, se Deus quiser. Mas em determinados momentos da vida, em certas ocasiões, o coração de uma mãe se aperta em ver o filho crescer, quase sempre com a sensação de que tudo está passando depressa demais.

Essa é uma daquelas noites difíceis de dormir. Amanhã cedinho minha filha vai viajar com a escola e voltará sábado, logo no dia seguinte. Ela só tem 5 anos e eu quase disse não para este evento. Mas a vontade dela era tanta, ela estava tão cheia de expectativas que não pude negar essa alegria a ela.

Aqui na Alemanha tenho a sensação de que os pais são mais tranquilos e cuidam de seus filhos para que eles sejam logo independentes. Isso é bom, mas ser assim ainda é uma dificuldade para mim. Levo e busco na escola meu filho mais velho, de 8 anos, enquanto crianças da mesma idade já vão para a escola há muito tempo sozinhas.

Aqui é bem comum ver crianças pequenas indo para escola ou voltando para casa de bicicleta, enquanto seus pais as seguem de carro. É uma espécie de treinamento para ver como a criança se comporta, se sabe o caminho e as regras de trânsito. Acho interessante, prático e educativo. Mas por um bom tempo, ainda vou levá-los comigo.

Essa diferença cultural tem muito haver com o pós guerra. Naquela época os alemães foram convidados e motivados a reconstruírem o país. Vi um documentário interessante esses dias que mostrou como a Alemanha se reergueu com a ajuda de seu povo. Muitas crianças ficavam em casa sozinhas enquanto seus pais estavam construindo o país. E isso impactou na cultura e mudou a dinâmica familiar dessa nação.

Como não nasci na Alemanha e ainda por cima tenho sangue di una vera mama italiana, encontro dificuldades em soltar os filhos no mundo. Mas estou progredindo, afinal minha filha vai se esbaldar de tanto brincar amanhã, em um parque com piscina e tudo, depois de viajar de ônibus para outra cidade só com a turminha do kindergarden!

E eu vou ficar em casa, com o coração apertado, como se um pedacinho de mim estivesse se desgrudando. E está. Quem disse que ser mãe é escolher ter o coração para sempre do lado de fora estava certo. Pode parecer um exagero, um drama desnecessário, um filme de amor dos mais chinfrins, mas vai cutucar os ovinhos de um ninho e conhecerás a fúria de uma mãe coruja.

Essa sou eu. Essa somos nós, mães de coração mole. Para vocês deixo esse mimimi todo e um poema lindo como recompensa por terem me ouvido. Os filhos crescem e isso é muito bom!

“Teus filhos não são teus filhos,
são filhos e filhas da vida.

Anelando por si própria,
vem através de ti, mas não de ti.

E embora estejam contigo, a ti não pertencem.

Podes dar-lhes amor mas não teus pensamentos, pois eles têm seus pensamentos próprios.

Podes abrigar seus corpos, mas não suas almas, pois suas almas residem na casa do amanhã, que não podes visitar se quer em sonhos.

Podes esforçar-te por te parecer com eles, mas não procureis fazei-los semelhante a ti, pois a vida não recua, não se retarda no ontem.

Tu és o arco do qual teus filhos, como flechas vivas, são disparados. Que a tua inclinação na mão do Arqueiro seja para alegria.”

do poeta Kalil Gibran.

A super mammy.com