2

Presente para o dia das crianças. (Leia antes de comprar)

Outubro chegou! Mês da música, das abelhas, do correio, do fisioterapeuta, do idoso, dos professores, dos médicos, do livro, do descobrimento da América, da padroeira do Brasil, nossa Senhora Aparecida e é claro, outubro é mês das CRIANÇAS!

E para celebrar este dia, que tal um presente diferente? Que tal oferecer menos brinquedos e mais presença? Vamos desvincular este dia do consumismo, do shopping, das compras e criar a oportunidade de fazer algo legal em família.

Uma vez publiquei esta frase na fanpage do Blog:

2013.01.28

Concordo muito com ela. O que me deixa mais feliz ao me lembrar da minha infância, foram os momentos em que me diverti junto aos meus pais. E quero isso para meus filhos também. Brinquedos eles possuem mais do que o suficiente. Então quero que tenham alegres lembranças da infância.

Tá sem ideias? Eu ajudo. Separei 14 atividades legais e divertidas para fazer no dia da criança com a garotada:

1. Piquenique

Monte uma cesta com petiscos deliciosos, uma toalha para forrar o chão e um kit com bola, corda para pular, peteca, frisbee e um livro legal para ler para seus filhos. Escolha um local agradável e divirtam-se uma tarde inteira. Sem celular, sem internet, sem trabalho, sem adultos, apenas vocês e eles.

2. Zoológico

Tem zoológico na cidade ou um bosque com animais? Passem o dia das crianças lá! Você pode levar um livro sobre animais e curtir cada momento com a criançada. Brinquem de caça ao tesouro: escolham alguns animais do livro e procurem no zoológico. Quem sabe dar comida para os bichinhos, se o zoológico permitir, passear de trenzinho, tomar sorvete e comer cachorro quente.

3. Encontro de primos

Combine com os parentes de encontrar todas as crianças da família em um parque para comemorar o dia das crianças. Cada um leva um prato e pode rolar aquele delicioso lanche comunitário. Pensem em brincadeiras para fazer com as crianças, o legal é participar também, essa é a ideia.Brinquem junto!

4. Museu

Você já foi a um museu com seu filho? Este dia é uma ótima oportunidade para conhecer e vivenciar um pouquinho esta experiência de conhecimento e aprendizado. Pesquise antes sobre o tema do museu e ajude a explicar e deixar mais interessante o passeio para a criançada. Depois vale passar na sorveteria mais gostosa da cidade!

5. Fazer brinquedos de sucata

Separe materiais como embalagens pets, caixas vazias, cola, jornais, revistas, tintas, durex, etc… e passem uma manhã toda criando os jogos e brinquedos. Deixe preparado já aquela lasanha saborosa que toda criança gosta! Depois do almoço, divirtam-se brincando com o que criaram!

6. Pintar um quadro

Compre uma tela e pinte um quadro com seu filho. Escutem uma música, pensem nas cores, nas ideias e mãos à obra. Depois pendure em algum lugar da casa. Toda vez que seu filho olhar o quadro sentirá o orgulho de ter feito com você.

7. Construam uma cabana.

Passem uma tarde, e por que não o dia, numa barraquinha dentro de casa! Monte uma cabana grande com seu filho, e depois fiquem lá dentro conversando, jogando xadrez, comendo gostosuras, lendo um livro, ô delícia!! Passar uma tarde assim é um presente para nós também.

8. Cineminha com pipoca!

Durante a noite, transforme a sua sala em um cinema. Alugue um filme legal (olhem isso: “Preparem a pipoca… 50 filmes da infância para assistir com a criançada”), pegue almofadas fofinhas, estoure pipoca (tem receita de pipoca doce aqui!), feche as cortinas e fique agarradinha com ele assistindo um filme de criança. Depois, podem conversar sobre o filme, falar dos personagens, do que cada um mais gostou, das músicas legais…

9. Cozinhar juntos.

Escolham um menu e prepare com seu filho um almoço especial. Fiquem a manhã toda cozinhando, escutando música, conversando. Deixe que eles coloquem a mão na massa, que lavem um pouquinho as louças, que ajudem arrumar a mesa. E por falar em mesa, vale a pena mudá-la de local e fingir que estão em um restaurante! (Acha que eles não conseguem? Então leia “Independência – O caminho que nossos filhos precisam trilhar desde pequenos … e sozinhos”)

10. Fantasias

Deixe a imaginação desperta e brinque de fantasiar com seu filho. Vale colocar a roupa da mamãe, ou usar uma outra bem velha, ou toda colorida. Depois de fantasiados, vocês podem fazer um show de talentos e cantar, dançar, inventar poesias, histórias…

11. Jogos de tabuleiro.

Passe uma tarde em casa ou em um parque brincando com algum jogo de tabuleiro. É divertido, vocês podem conversar bastante e ficar próximos, fazendo a mesma coisa juntos. Quantas vezes vezes na semana você reserva um tempo para fazer alguma coisa divertida com seu filho?

12. Andar de bicicleta.

Escolha um roteiro, ponha na mochila água, sucos e lanchinhos, peque os capacetes e passem o dia pedalando e parando em praças e parques. Um dia ao ar livre inesquecível, mas que exige energia e cuidados com a rota escolhida.

13. Passear pela cidade.

Você conhece mesmo sua cidade? Aproveite este dia para conhecer uma praça nova, ou um museu, espaço cultural, etc… Caminhem, visitem estátuas, pontos turísticos e marcos históricos. Pesquise antes tudo que sua cidade oferece e monte um roteiro!

14. Atividades culturais

No dia das crianças muitas cidades oferecem gratuitamente atividades para a família: teatro, contadores de histórias, música ao ar livre. Entre no site da sua cidade e fique por dentro destas atividades. É uma experiência saudável e divertida para as crianças.

Mas… e o presente?

Para enriquecer ainda mais este dia da criança, você pode junto com seu filho, comprar um presente para uma criança carente, ou doar algum dinheiro para ajudar na cura de alguma criança doente, como no caso do Pedrinho, olha a fan page dele aqui: https://www.facebook.com/ajudeopedrinhoacontinuarsorrindo?fref=photo .

Seu filho ganhará um dia divertido e uma linda lição de solidariedade. (Caso interesse leia: “10 formas para ajudar seu filho a ser mais solidário no futuro”).

Espero que tenham gostado!

Beijos em todas as super mamães!

facebook.com/asupermammy

asupermammy.com

Anúncios
0

A febre do Rainbow Loom!

Rainbow Loom: a mais nova sensação entre as crianças e adultos criativos! É um kit para fazer pulseiras de plástico, composto por elásticos, fechos, uma espécie de agulha de crochê e uma plataforma onde se cria os modelos.

O legal é que não é difícil de fazer os seus primeiros objetos e com a prática dá para inventar muita coisa bacana!! Os meus filhos adoram e eu também estou entrando na onda. O que você precisa? De um kit inicial, muitos elastiquinhos, além de um espaço (como uma mesa) para manusear as pecinhas e organizadores para guardar em ordem e longe dos bebês da casa!!

Fotor090391420

Onde comprar? Aqui na lojinha da Super Mammy você encontra o kit inicial e também os acessórios e complementos. É só clicar na nossa lojinha .

Com o kit Rainbow Loom você pode fazer pulseiras simples:

Fotor090384621

Pulseiras mais chiques:

Fotor090385129

Trocar a pulseira do seu relógio velho:

mickey-mouse-watch-rainbow-loomApoiadores para lápis:

hqdefault

Se aquecer no inverno:

Fotor090390253

Enfeitar os pés:

rainbow-loom-footware

Minions:

minion-rainbow-loom-bracelet-2Capa para o seu celular:

50063fabe3a763666e20d5562a5e47faBolsas e chinelos:

Fotor090390729

Roupas, por quê não?

Fotor09039090

O Darth Vader ou uma Bailarina para presentear amigos:

Fotor090394225

Sapatos e Biquinis:

Fotor090394117

Ou um Batman:

d9c91512855982a255c615f8c6d8f291

Simples? Nem tanto. Mas existem milhares de vídeos e tutoriais no you tube que ensinam passo a passo como montar esses encantadores badulaques. Pegue seu kit Rainbow Lomm e … mãos à obra!

 asupermammy.com

facebook.com/asupermammy

2

10 coisas que as crianças aprendem colecionando álbuns de figurinha!

Oi gente, hoje nós compramos nosso álbum de figurinha da copa. As crianças estão animadas! Aqui em casa todo mundo é fã desses álbuns e sempre temos um em casa para completar. Eu, particularmente, faço isso desde pequenininha. Meu pai sempre me incentivou a completar álbuns e me levava até nas banquinhas de revistas para trocar as repetidas com outros colecionadores.

Agora, eu faço isso com meus filhos, vejam que demais! Conversando com meu marido sobre o post de hoje é que me dei conta de como a Panini é grande! Essa empresa italiana, teve sua história iniciada em 1945, em Modena (mesma terra que Pavarotti), e hoje é a responsável pela produção dos álbuns dos principais eventos no mundo todo!

Mas colecionar figurinhas não é algo somente divertido. É, temos muito a aprender com esses pequenos adesivos. Juntei algumas das vantagens que vejo em colecioná-las e escrevi aqui para vocês. Então, concordam comigo? Leiam e comentem!

10 coisas que as crianças aprendem colecionando álbuns de figurinha:

1. Paciência: Já vi gente que completou o álbum da copa em um dia. Ok, isso é possível (claro que requer um certo investimento $$). Mas para mim, a graça é ir completando aos poucos. Com meus filhos faço assim, temos um único álbum para a família e vira e mexe compramos de 3 a 5 pacotinhos para cada um dos filhos. Completar o álbum todo é um exercício que precisa de paciência, e essa é umas das virtudes mais necessárias para vida, pois nos faz persistir em uma atividade difícil, ter tranquilidade para alcançar o objetivo, ser perseverante, esperar o momento certo para certas atitudes, de aguardar em paz a compreensão que ainda não se tenha obtido. E esperar pela figurinha número 10 é uma forma lúdica de treinar a paciência nas crianças.

2. Concentração: Abrir um pacotinho sem rasgar as figurinhas, desgrudar a parte que cola daquele papelzinho com o número da cartinha e até mesmo colá-la no álbum pode ser um grande desafio para os baixinhos. As figurinhas são um ótimo exercício para treinar a concentração das crianças, pois nada melhor do que fazer uma atividade com calma para que ela saia bem feita.

3. Despertar a curiosidade: Os álbuns de figurinhas possuem muita informação e curiosidades dentro 28_1236329653dele. É uma forma divertida, lúdica e prazerosa de aprender um pouco mais sobre um tema que você ou seu filho gostam, deixando um gostinho de quero mais, incentivando uma pesquisa maior em livros, na internet ou na biblioteca.

4. Coordenação motora: é a capacidade que o ser humano possui e aprimora de usar de forma mais eficiente os seus músculos esqueléticos, permitindo o domínio do corpo no espaço, controlando os movimentos mais rudes. A coordenação motora fina, é aquela que nos permite fazer coisas mais delicadas, usamos para isso os pequenos músculos do nosso corpo. Para escrever precisamos ter uma boa coordenação motora fina, por exemplo. E uma das atividades que ajudam neste processo, adivinhem? Colar figurinhas!

5. Poupar: Que tal a ideia de montar uma caixinha para comprar figurinhas? Deixe uma caixinha, latinha, pote ou qualquer coisa na entrada da casa, por exemplo, para que todos coloquem ali suas economias do dia. Ex: o troco do lanche da escola, um doce que deixou de comprar, enfim, formas de juntar um dinheirinho extra, economizando em outras coisas, com o objetivo maior de completar o álbum.

6. hobby: “O hobby beneficia o ser humano de forma integral. Já sabemos que tudo o que provoca satisfação gera uma reação positiva no organismo, tanto na esfera física quanto psicológica”, afirma Ricardo Monezi, pesquisador do setor de Medicina Comportamental da Universidade Federal de São Paulo. Faz bem, e se começar desde cedo, vira rotina!

7. Relacionamento: Uma das partes legais de juntar figurinhas é poder trocá-las! Estamos colecionando um álbum de figurinhas da minha cidade, Bielefeld, que este ano comemora 800 anos!! E descobri que aos sábados, as pessoas se juntam em um determinado ponto do centro para trocá-las. Fomos lá achando que iam aparecer uma meia dúzia de pessoas, mas que nada! Tinha muito gente e de todas as idades! Uma experiência incrível de troca de figurinhas e de um bom bate papo. 8. Negociação: É bom para a criança aprender desde cedo a negociar, fazer um bom negócio, uma boa troca – claro, dentro do mundo de interesse das crianças, não vai por a criança para negociar o carro! Por exemplo, acabei de negociar aqui com meu filho, que está do meu lado assistindo um filminho porque hoje aqui na Alemanha é o 2º dia de férias (Osterferien) 🙂 . Ele queria comer alguma coisa (certeza que deveria ser uma besteira) então combinei com ele que se ele comesse uma banana, ele poderia escolher a segunda guloseima. Negociar figurinhas é bom, pois podemos ensinar na prática que numa negociação ambos os lados devem ceder e chegar a um acordo em comum.

9. justiça: Junto com a negociação, vem a questão da justiça. E essa é uma das principais lições que a criança deve ter desde cedo. Toda a oportunidade de perguntar a ela se determinada atitude ou situação foi justa, deve ser interpretada como um estímulo para que desde pequenos comecem a se colocar no lugar do outro. Deixe o seu filho pequeno trocar figurinhas sozinho, e você terá um pacotinho de histórias sobre “foi justo ou não” para conversar com ele. Foi justo trocar 1 figurinha por 10? Mas você deu a sua figurinha especial por um chiclete, e já mastigado? Como você levou 5 figurinhas para trocar e voltou com 47? Isso foi justo?

10. organização: Separe uma caixa para colocar o álbum e as figurinhas. Mostre para as crianças seus álbuns antigos para que eles vejam como estão lindinhos ainda, mesmo depois de tantos, tantos anos, ou décadas, ai deixa para lá. Mas enfim, se tudo ficar espalhado, pacotinhos abertos no chão, página do álbum dobrada, a delícia de colecionar figurinhas pode se transformar num caos total! Então, dê instrumentos para que eles se organizem e deixe essa tarefa sob responsabilidade deles. Nossa função é de cobrar a organização e de se divertir com eles!

Espero que tenham gostado! E vamos trocar figurinhas 🙂

0

Eba! A nossa festinha de Carnaval foi muiiito legal!

Quem disse que carnaval no frio é chato? Aqui em casa, a alegria esquentou os nossos pequenos foliões e deu um chega para lá no inverno gelado da Alemanha!

Fotor030603116

Preparamos uma matinê, afinal é tempo de carnaval! e foi bem interessante e divertido. Tudo bem que eu tive a ideia maravilhosa de dar para a criançada 3 sacos de confetes, o que rendeu muito trabalho para deixar tudo em ordem depois. Mas valeu! (Mesmo sabendo que vou encontrar confete pelos próximos meses em algum cantinho da casa).

Alemão é super, hiper, mega, pontual e 10:03 da manhã (a festinha foi das 10 ao meio dia) todas as crianças já estavam aqui. Então demos inicio às atividades. O que fizemos?

Desfile de fantasias

Logo que chegaram, fizemos uma roda e cada criança foi falando do que veio fantasiada, quem pensou na fantasia, se fizeram ou se compraram, etc… Também, podiam cantar, dançar, imitar um personagem, ou fazer um som. Gastamos uns 15 minutos nessa atividade.

Estátua

Depois, ligamos o som e dançamos à beça! Comprei um CD de músicas de carnavais alemãs e misturei com as músicas brasileiras, foi muito legal. Brincamos de estátua – aqui as crianças chamam essa brincadeira de Stop-Music.

Guerrinha de confetes

Com certeza a hora mais divertida da festa, é muito gostoso jogar confete para o alto. Principalmente sabendo que não precisa limpar – o que não era o meu caso, então reduz aí a minha alegria rsrs

Recriando o modelito

Pegamos a caixa de fantasias e acessórios lá do quarto de brincar e cada criança podia pegar o que quisesse para mudar a cara e o estilo da sua fantasia. Então, depois dessa transformação, estavam presentes na minha sala o “Darth Vader ciclista”, a “Índia chic indo às compras”, o “Mexicano loiro”, o “bebê macaco Chaplin”, o “jogador do Bayer ninja”, o “pirata só pirata mesmo”, o outro “Darth Vader cavalheiro da Contrada da Torre”, a “princesinha de guarda-chuva”, o “Crocodilo arqueiro” e eu, “fantasiada” de “mãe louca que chamou 10 crianças para bagunçar a la vonté seu apartamento”!

Pintura

As crianças aqui amam colorir, então toda festinha tem que ter tinta, telas de pintura ou papel, lápis e canetinhas. Foi legal e montamos um painel com todos os desenhos. Juro que a primeira coisa que um dos convidados (de 7 anos!!!!) fez no papel foi escrever funções matemáticas. Assustei geral! rsrsrs

Café da manhãFotor030610112

Depois da farra dos “AmendoBobos” (assistimos ontem ao filme do Bob esponja pela milésima vez, e rimos como se fosse a primeira, como sempre!) a criançada estava com fome e sede. Então, fizemos um café da manhã com espetinhos de frutas, palitos de queijo com tomate e só de queijo, lanchinhos com geleia de morango, outros com requeijão e queijo, suco… Deu tudo certo!

Brincadeira livre

Quando já era umas 11:40 deixamos as crianças livres para brincar no quarto de brinquedos ou na sala mesmo, juntando os confetes do chão e jogando tudo de novo para cima!!!! Fotor030605423

Os alemães, no geral, são muito gentis e prestativos. Só encontro gente adorável em nossos caminhos e agradeço muito. Afinal, morar num país longe da família e amigos não é uma tarefa simples. Todas as crianças trouxeram alguma coisa sem nós pedirmos: ganhamos flores, caixa de merengue, caixa de chocolate, um saquinho com conchas e pedrinhas, revistinhas para ler…

Meio dia os pais estavam pontualmente aqui em casa, maravilhados com nossa festança e espantados com a quantidade de confetes pelo chão rsrsrs

Avaliando a festinha, de 0 a 10, dou a nota 1000!!! Valeu muito, uma lembrança inesquecível para os meus filhos e para o papai, animador oficial da festa, que ficou assim depois da criançada ir embora: img_5478

0

Brincar é divertido e inteligente!

Desde os primeiros meses as crianças se envolvem com brincadeiras e jogos. É dessa forma que elas aprendem, se desenvolvem e interagem com o mundo. As crianças vão crescendo, muda-se a forma do brincar, mas ainda sim, a atividade favorita dos nossos filhos é explorar o mundo e aprender a navegar por ele .

Eu estava observando meu caçulinha (que completou seis meses hoje) brincar com uma simples etiqueta que recortei de uma blusa que estava pinicando muito!. Aquele olhar brilhante, um leve sorriso, uma concentração gigantesca para segurar, virar, lamber algo tao desajeitado e molengo.

Os bebês parecem apaixonados ao descobrirem o mundo. Também, encaram os jogos e brincadeiras como uma profissão, como aquilo que ele faz de melhor. Como se fosse uma necessidade inata da criança o desejo de brincar.

Tudo o que tem nas mãos de um bebê ou de uma criança, faz com que eles criem uma ponte que os ligam rapidamente até uma brincadeira. Colocar tigelas de plástico uma dentro da outra, desenhar com um pedaço de graveto na areia, dar algo para beber a uma boneca com um copo vazio, puxar as meias dos pés… tudo é motivo para brincadeira, tudo se transforma em aprendizado.

Nestes exemplos, é nítido observar a tentativa das crianças de desvendar os mistérios das coisas ao seu redor. Querem ter, sentir, cheirar, segurar e ouvir todas as pistas que as fazem explorar seu pequeno mundo e entendê-lo. E fazem isso brincando. Uma maravilha para o desenvolvimento mental, motor, emocional e social.

Para isso, os bebês – e também as crianças – precisam de espaço e de liberdade para explorar. Também, precisam de tempo, do quanto for suficiente para elas.

A ciência do desenvolvimento infantil nos revela que os bebês são a mais completa e incrível máquina de aprendizagem existente. Conseguem criar conexões neurais e aprendem rapidamente as coisas. Se uma criança pequena aperta o botão do abajur e a lâmpada ascende, e depois aperta novamente e a luz apaga, pronto, tem-se um novo “jogo”, uma nova brincadeira e, assim, uma nova tarefa de aprendizagem é revelada.

Os bebês – um mundo a conceber.

O primeiro brinquedo do bebê é o seu corpo . Ele brinca com os pés, examina suas mãos, experimenta o sabor dos seus dedinhos. Também é fascinado por tudo o que está em sua volta. Quer compreender o que acontece! Quer colocar tudo na sua boca, seja a meia suja do irmão ou uma colher na mesa de jantar.

Nesta etapa o bebê está aprendendo a entender o mundo: “se eu pegar o chocalho, escuto um som”, “se eu jogar a chupeta fora do carrinho, ficarei sem”, “se eu empurrar a porta, ela se abre” .

O que nós podemos fazer nesta fase?

  • Oferecer -lhe uma variedade de coisas para brincar – com formas, cores, texturas e materiais diferentes.

  • Ser companheiros e conversar, sorrir, cantar e mexer em seus pés e mãos.

  • Ler um livro enquanto mostra as imagens (procure livros com várias texturas para que o bebê possa interagir e descobris através do toque)

  • Deixe-o concentrar: se ele está tentando pegar um objeto, quando ele conseguir, não diga nada, apenas observe. Muitas vezes o nosso “Oba, muito bem, você conseguiu!” desvia a atenção do bebê e ele deixa o objeto de lado, deixa também de aprender e se desenvolver mais com aquilo.

  • Coloque objetos do cotidiano, como pratos e copos de plástico sempre disponível (ao alcance). Uma gaveta na cozinha com tigelas de plástico (sempre inofensivos, cuidado!) podem render um tempo de interação e brincadeira enquanto você prepara o jantar.

A criança pequena – verdadeiros construtores!

Quando começam a querer brincar de construir coisas, uma nova fase se inicia. Agora nossas crianças pensam como arquitetos , construtores, padeiros e pintores. Blocos estão empilhados, o papel todo preenchido, tudo feito com entusiasmo e concentração. As crianças começam a criar algo novo.

A partir dos 18 meses, as crianças irão lhe oferecer pedaços de lego para comer, melhor aceitar e dizer que está uma delícia!

O que nós podemos fazer nesta fase?

  • Deixar papel e lápis de cor disponível. Massinha também!

  • Oferecer um brinquedo e tempo para que elas possam brincar. As crianças possuem um ritmo diferente do nosso e se querem construir uma torre, por exemplo, deixem-as construir sozinhas. É claro que nós faríamos bem mais rápido, mas nossa fase já passou. Agora é vez delas!

  •  As crianças não gostam de brincar sozinhas em seu quarto. Por isso, fique por perto ou deixe que brinquem na cozinha, na sala ou no escritório.

  • Continuem com os livros (na verdade, não parem mais!), a leitura é importante para a imaginação, lógica, afetividade e muito mais.

A criança com 3 anos ou mais – fantasiar é a lei!

Quando a criança domina melhor a linguagem, começa a fase dos jogos que precisam de um ou mais jogadores. Na maioria das vezes, é preciso irmos às compras e voltarmos com um jogo de memória, dominó de bichinhos e fantoches na sacola.

Nesta fase as crianças começam a querer mandar, dar ordens e estipular as regras. Quer saber? Não deixa não! Mostre, com carinho e paciência, os limites da sua casa.

Há um grande avanço no seu vocabulário e, assim melhoram as habilidades de comunicação da criança. É uma boa oportunidade para processar as suas próprias experiências e vivências, portanto podemos conversar sempre com elas, isso cria um vínculo que deve ser mantido para sempre. Trocar papéis e fantasiar é uma oportunidade lúdica e criativa na hora desse prosa…

O que nós podemos fazer nesta fase?

  • Deixe a criança usar roupas da mamãe e do papai, perceba se ela tenta agir como nós, se ela é capaz de entender nossos diferentes papéis.

  • Crie oportunidade para que elas brinquem com outras crianças.

  • Permita que tenha tempo e tranquilidade para brincar e não interrompa desnecessariamente.

  • Dê-lhe tantas vezes quanto possível, a oportunidade de correr ao redor da casa, no quintal ou no parque. Isso melhora não só as habilidades motoras (grossa e fina), como fortalece o sistema imunológico. Com pedras, folhas, areia, elas podem brincar muito bem.

Crianças com 6 anos – Eu que ganhei!

Os jogos de regras entram cada vez mais em ação, e agora a única preocupação é saber quem foi o vencedor! Mais do que querer ganhar, as crianças desenvolvem capacidade de raciocínio, lógica e desenvolvimento estratégico durante a brincadeira.

Quanto mais a criança brincar, mais aprenderá. Ela também começa a lidar com a questão emocional: alegria , orgulho, frustração, tristeza, euforia, uma chuva de novos sentimentos aparecem. E, muitas vezes, tornam-se uma tormenta se não forem resolvidos.

No jogo, as crianças podem aprender a lidar melhor com esses sentimentos. Sempre digo aos meus filhos: “Se você não está preparado para perder, também não está preparado para jogar!”. Afinal, jogar é escolher ter o risco da derrota. Mas nem todos sabem lidar com isso, por isso o papel dos pais é fundamental.

Para que uma brincadeira não acabe em choro, ou com pecinhas voando para o outro lado da sala, nós podemos ajudar da seguinte forma:

  • Respeitar a idade sugerida dos jogos. Demanda excessiva leva ao estress e lágrimas. (Claro, cada um conhece seu filho e sabe o que dá para antecipar ou não).

  • Comprar Jogos que também lhe agradam. Afinal, brincar com um jogo chato faz tudo perder a graça. Descubra junto com seu filho jogos que sejam divertidos para vocês dois!

  • Esclarecer as regras antes de começar o jogo.

  • Optem sempre por jogos de tabuleiro! Observem quanto de conversa acontece num jogo de vídeo game e quanto de conversa acontece durante uma partida de UNO, por exemplo. É mais saudável e divertido!

Nenhum pai precisa ser animador de festa nem expert em jogos e brincadeiras. Mas saber o momento que seu filho está e oferecer aquilo que dá prazer a ele é importante pois ajuda-o no seu desenvolvimento.

A relação do brincar com o desenvolvimento psíquico e cognitivo é comprovado, portanto vamos criar mais oportunidades de diversão aos nossos filhos. E eu não estou falando de brinquedos caros. Afinal, nosso tempo e algumas pedras do jardim são de graça, já o resultado… Bem, este não tem preço!

Fotor022712145

5

Tempo de Carnaval!!

Olá mamães!

Sábado as crianças pensaram na possibilidade de fazermos uma festa de carnaval aqui em casa. Achamos a iniciativa legal e passamos o domingo todo organizando e tendo idéias para a festinha, que acontecerá aqui em casa no sábado de manhã!

Aqui na Alemanha o carnaval também é comemorado, tem desfiles e tudo. Existem cidades que decretam férias escolares no período. Durante os desfiles, todos usam fantasias e são distribuídas balas para os foliões! A cidade de Colônia (Köln) é super conhecida pela festança. Fotor022422494

Nessa época, qualquer mercado que você entrar vai encontrar fantasias, perucas e acessórios para o “Karneval”, como é conhecido aqui. Os preços são bem acessíveis e todo mundo experimenta a fantasia na loja mesmo, o que acaba virando uma diversão!

Achei legal compartilhar com vocês essa nossa experiência mesmo antes de realizá-la. Quem sabe vocês não se sintam inspiradas e organizam uma matinê com os filhotes e seus coleguinhas em casa ou no salão de festas do prédio!? Ainda da tempo!

Vejam o “passo a passo” da nossa organização!

1. Lista de convidados: Estipulamos que o Gi e a Me poderiam escolher para a nossa festa, quatro amiguinhos cada um, afinal, somando todos teremos 10 crianças pulando carnaval dentro de um apartamento!

2. Convites: Passamos a manhã do domingo recortando, desenhando e enfeitando nossos convites. A festa será no sábado das 10:00 ao 12:00. Eles ficaram assim: Fotor0224231563. Cômodos permitidos: A festa está liberada para acontecer apenas nas salas e no quarto de brincar. Fecharemos as portas dos outros cômodos, caso contrário minha cama vai virar um trampolim!

4. Músicas: Nós temos alguns CDs de músicas de carnaval do ano passado, inclusive esse aqui, que adoramos: PC027-BAIXA5. Comidinhas: As crianças foram pensando nas comidinhas e nós fomos orientando para que fosse algo mais saudável. A festa acontecerá cedo, então teremos um cardápio simples de café da manhã. Vejam só:

  • Espetinho de frutas
  • Milho cozido
  • Bolo de cenoura
  • Pão de forma com requeijão, presunto e queijo
  • Suco de cenoura com limão e laranja

6. Brincadeiras: Faremos um desfile de fantasias, pintura no rosto, fotografias divertidas e uma mini gincana.

Mas a principal dica é:

Arrastem os móveis, enrolem o tapete e não esqueçam de tirar tudo o que quebra da sala!!!

Segunda que vem conto como foi… Beijos e boa diversão!

0

Manhêê, cadê minha infância? Adultização infantil.

Olá mamães!

Estava vendo alguns sites de roupas e me deparei com imagens de crianças imitando adultos. Super maquiadas, de salto alto, com roupas nada infantis. Meninas pequenas que mais pareciam mini mulheres. Pesquisando mais, me deparei com os concursos de beleza para criança. Então pensei: estamos voltando no tempo, certeza.

Antigamente, séculos atrás, não existia esse sentimento de infância. As crianças eram apenas mini adultos. Vestiam-se como os mais velhos e logo aprendiam uma função a fazer. Sem escola, sem direitos, sem tempo para brincar. A história da criança é bonita, porque década após década, ela foi ganhando espaço e cultivando o direito que melhor lhe cabe para esta fase: o de brincar!

Como disse Gilbert Keith Chesterton, “A maravilha da infância é que para eles tudo é maravilha.”

Observando essas histórias de concurso de beleza infantil, penso que estamos voltando na história. Inventando “ridiculisses” para que as crianças percam cada vez mais cedo a maravilha da infância.

Mas por de trás de cada “mini mulher”, existe uma mãe e um pai. E isso é espantoso, porque estão fazendo algo de muito mal aos seus próprios filhos. Quando falo em adultização infantil, me refiro a estas posturas, vejam:

adultizacao infantil

A adultização infantil passa por várias esferas: consumismo, rotina cheia de compromissos, vaidade exagerada, sendo essa última o foco da minha indiguinação momentânea.

Afinal, podemos ver nas fotos crianças super maquiadas, artificialmente bronzeadas, que desfilam em trajes de banho para juízes adultos dizerem se elas são bonitas ou não. Sim, me parece um absurdo.

Gostaria de perguntar para essas mães que incentivam suas filhas a participarem de desfiles de modelos, concursos de miss infantil, cinema, televisão, ou o que for: “queridas mães, não acham esse exagero doentio? Qual a vantagem em crescer tão rápido?

Sabemos que há sempre alguém ganhando com berrações que tentam colocar em nossas vidas, em nossa rotina. E esse ganho é enorme! Hoje, podemos encontrar produtos anti envelhecimento para crianças de 8 a 12 anos de idade! Kit infantil com esfoliadores faciais! Sutiãns com bojo para meninas a partir de 6 anos!

A indústria ganha dinheiro. Nossas crianças perdem a infância. Precisamos salvá-la para que o mundo ainda tenha jeito. Exagero?

A brincadeira faz parte da infância, e possibilita o desenvolvimento da área cognitiva, biológica, motora, social e afetiva. Tudo o que acontece nessa fase é fundamental para o resto da vida de uma pessoa, uma vez que sua personalidade e seu caráter estão em formação.

Pular esta etapa da infância ou antecipar a vida adulta é um equívoco que deixa sequelas problemáticas. A infância existe e é preciso respeitá-la.

Mas como saber o limite entre o exagero e a vaidade infantil?

O fantasiar faz parte da vida, faz parte do faz de conta infantil. Enquanto for brincadeira é saudável passar batom, por exemplo. A partir do momento que isso vira rotina, que isso vira lei, “Ai ela não sai de casa sem fazer as unhas!”, então, temos o exagero.

Crianças perdendo horas em salão para fazer as unhas toda a semana, sim, parar mim isso é exagero. Na maior parte da vida nós somos adultos, vamos deixar nossas crianças serem “apenas” crianças. E para isso elas precisam de tempo. Tempo para brincar!

A Super Mammy.

Às mamães ansiosas para verem suas filhotas crescerem, deixo essa música lindinha: “Tente entender”, do Palavra Cantada.