2

O Natal está chegando…

O Natal já está tomando forma por aqui. Na cidade os enfeites começam a aparecer e já tem muitas coisinhas de Natal nas lojas. Aqui em casa vamos arrumar a decoração dia 24, um mês antes da noite de Natal, uma pequena tradição familiar.

Enquanto isso, decidimos participar de uma ação solidária aqui na nossa cidade, que arrecada brinquedos para crianças carentes. Para quem morar na Alemanha, doamos através da campanha “Kinder helfen Kinder” (criança ajuda criança) do Weihnachtspäckchenkonvoi.

Eu já havia escrito aqui no blog um post sobre 10 formas de ajudar seu filho a ser mais solidário no futuro. Então, eu juntei a criançada e fomos empacotar os presentes.

Na campanha que participamos, era para doarmos brinquedos usados e doces. Fizemos seis pacotes lindos cheios de alegria e amor. Doar faz bem para nós e o retorno é imediato! E ver seus filhos sentir o mesmo, alegra o coração.

Eles se empenharam em escolher os brinquedos, compramos os doces juntos e ainda quiseram comprar lápis e livros para colorir, e eu adorei a ideia. Screenshot_20171116-123612[1]

Já o Thomas queria pegar todos os brinquedos para ele, comer os doces, ai… um stress! Ele está na tal da adolescência da infância, a temível fase dos 2 anos que eu só fui conhecer com o caçulinha! Mas o Lucca colaborou muito e isso me surpreendeu, Meme e Gi foram nota 10.

Acho que nosso Natal começou bem. Todos envolvidos em fazer o bem para o próximo, sem olhar a quem, sem interesse, apenas com vontade de alegrar uma criança.

Enquanto embrulhávamos as coisinhas refletíamos sobre quem iria receber os pacotes? Onde moram? Onde estudam? Será que eles tem irmãos? Será que vai dar briga? Será que eles vão gostar? Será que um deles tem alergia a nozes?

Essas foram as perguntas que surgiram durante o tempo em que pensávamos e arrumávamos tudo para doar. Achei engraçado o Gi pensar nas nozes, deve ser porque o Lucca tem alergia e não pode comer quase nenhum chocolate. Então escolhemos bem antes de comprar, para não causarmos problemas.

IMG_20171115_235328_749[1]

Acho que o Natal é um momento de doação, de nossa doação para os outros. Seja através de presentes, ações, acolhimento. É tempo de reforçar o BEM que fazer o BEM propicia, para que ao longo do ano esse sentimento caminhe junto com a gente e com nossas ações.

Envolver as crianças em ações solidarias:

  • os fortifica;
  • incentiva a valorizar e ser grato pelo que possuem;
  • os ajuda a refletirem sobre os exageros e desperdícios, já que muitos vivem com bem menos e outros com quase nada;
  • alimenta a alma e o coração, por que doar também é uma forma de amar!

Eu gostaria de convidar as mamães aqui do blog para fazerem algo nesse sentido junto com seus filhos neste Natal. Doar brinquedos, alimentos, tempo, doar carinho, o que for. Acho que esse é um presente lindo de dar e de receber! O que acham?

Um beijo com carinho.

Anúncios
0

Festa de São Martin

Novembro ainda é outono, mas o frio aqui na Alemanha já tem cara de inverno. Então a gente segue inventado e procurando alternativas para nos divertimos e aproveitarmos o tempo também fora de casa, porque esperar dentro de paredes quentinhas o inverno passar com quatro crianças é de enlouquecer mãe, pai e a vizinhança toda.

Para nossa alegria, novembro é o mês em que comemoramos a festa de São Martin e isso quer dizer que pelo menos por um semana estamos entretidos com algo que aquece nossos corações de tão fofinho que é. Vou explicar o motivo.

Primeiro, quem foi São Martin?

Martinus Turonensis, também conhecido como Martinho de Tours nasceu no século IV a oeste do Rio Danúbio, região que pertence hoje a Hungria. Seu pai era militar e o alistou com 15 anos para a cavalaria do exercito romano, mesmo contra a sua vontade. Logo ficou conhecido por sua bondade, caridade e fé. Em uma determinada noite, quando Martinus de Tours estava com mais ou menos 22 anos, aconteceu algo que iria mudar a sua vida. E essa parte é o que originou a lenda e a festa que celebramos até os tempos de hoje. Conto sobre isso mais abaixo. Enfim, depois desta noite ele deixou de vez o exército, virou monge, missionário e evangelizador. Morreu aos 81 anos e sua vida foi sempre em função do próximo. Caridade… talvez seja essa sua marca.

St Martin

Mas enfim, o que aconteceu para que São Martin abandonasse a cavalaria? A lenda é mais ou menos assim:

Em um inverno rigoroso, quase congelante para dizer melhor, são Martin retornava de um vilarejo após receber o dever de cobrar os impostos dos camponeses de uma cidade vizinha. Na saída, ele encontrou um mendigo  que implorava por ajuda sentado no chão frente ao portão da cidade. Como são Martim havia dado há poucos instantes todo o seu dinheiro para que os camponeses pudessem pagar o imposto, ele pegou o que tinha no corpo para ajudar o homem. Cortou com sua espada metade do manto que lhe esquentava o corpo e ofereceu ao mendigo, cobrindo-o para que o pobre homem não morresse congelado. Na mesma noite, são Martin sonhou que Deus estava trajado com seu manto, ele acreditou ter tido um encontro com Deus. A partir desse dia,  Martin decide não ser mais um soldado, abandona o capacete e a espada e passa a servir a igreja. É pelo ato de bondade e de coragem de São Martim e por toda uma vida de caridade que comemoramos no dia 11 de novembro o dia de “Sankt Martin”.

São Martin e os gansos
O Bispo da cidade faleceu, e o povo clamava Martin, todos queriam que ele fosse o próximo bispo. Mas ele era tão modesto que se escondeu junto aos gansos. As pessoas o procuravam no escuro com LANTERNAS e alguns deles cantavam músicas. Quando os gansos começaram a fazer barulho o povo o descobriu. E em 371 depois de Cristo, São Martin tornou-se bispo de Tours.

Por isso as lanternas…

A memória dele sobreviveu aos séculos: então a festa que comemoramos hoje com músicas, lanternas e (em alguns lugares) jantar com ganso assado (na minha cidade é Bratwurst mesmo – linguiça grelhada), é devido a estes dois episódios: o ato de bondade ao ajudar o mendigo e o esconderijo entre os gansos.

Como é a festa aqui na Alemanha?

Na escola da minha filha, nos encontramos no pátio, cantamos músicas, saímos todos em procissão com nossas lanternas e depois comemos juntos também no pátio da escola.

No Kita (ed. infantil) dos meus filhos menores, que é uma escolinha católica, temos uma missa, depois uma encenação com “St. Martin” subindo no cavalo, uma procissão no

388903_166750730087118_738226033_n

Kinderpunsch!

bairro com as lanternas e música, e uma confraternização no kindergarden com salsicha e kinderpunsch (seria um ponche quentinho sem álcool – humm… eu adoro!).

No meu bairro, as crianças tocam as campainhas da casa e quando a gente abre a porta elas cantam para nós. Como forma de agradecimento, retribuímos com doces, é uma tradição.

A primeira vez que bateram na minha porta – eu não sabia de nada disso ainda – eles cantaram e ficaram sorrindo esperando, aí eu vi que um deles segurava um cestinho com doces e então eu entendi o recado. Corri para o armário e tinha uns poucos  mini saquinhos de Haribo. Outras crianças vieram e eu não tinha mais doce, então comecei distribuir frutas. Elas se entre olharam e agradeceram. Vieram outras e eu já estava desesperada, não tinha mais doce, frutas e eu não ia dar um pé de alface que estava lá na geladeira, então eu distribui iogurte! Ai que mico.

Um encontro de arte, cultura, história, religião…

As crianças fazem suas próprias lanternas, mas também podem comprar. Esse ano nós compramos a da Melina, mas depois ela fez uma com sua amiga e o Lucca e o Thomas fizeram a deles parte na escola. O Giovanni já está no fundamental, e isso quer dizer que não é costume por aqui fazer a procissão de são Martim nas escolas depois de “grandes”, mas muitas paróquias celebram essa festa e nos dão a oportunidade de festejar juntos em qualquer idade.

Aqui em casa adoramos participar de tudo isso, acho uma forma importante de dizer e mostrar para as crianças que quando fazemos o bem isso fica marcado, gera frutos, engrandece, alegra ao próximo e nos enche de alegria também. Então, por que não? Para hoje a previsão é de chuva, mas temos um encontro marcado às 16:00 para festejarmos St. Martin 🙂

E vocês, já conheciam essa festa? O que acharam? Colocarei no instagram um pouco da festa (espero que a chuva não atrapalhe), passe lá e dê uma olhadinha. Já tem uma foto da Melina com sua lanterna. A festinha da escola dela foi quarta!

Beijos, mamães!

 

0

As 10 poesias mais lindas sobre “Mães”! ♡

Você já parurlou para pensar que se tem alguma coisa no mundo que ninguém dúvida é do amor que uma mãe sente pelo seu filho? Que de 1000 pessoas, 1001 dirá que uma mãe deveria ser eterna? Que não há carinho mais sincero, desejos mais profundos e nem renúncia maior contidos no interior de um coração materno? Algo de mágico acontece quando uma mulher se torna mãe. E essa magia não pode ser explicada, apenas sentida!

O blog da Super Mammy gostaria de homenagear todas as mamães do mundo, especialmente vocês, queridas amigas e leitoras. Para isso selecionou as 10 poesias mais lindas que revelam as maravilhas desse ser abençoado, desse anjo disfarçado chamado: Mãe.

1. Para Sempre, de Carlos Drummond de Andrade
“Por que Deus permite
que as mães vão-se embora?
Mãe não tem limite,
é tempo sem hora,
luz que não apaga
quando sopra o vento
e chuva desaba,
veludo escondido
na pele enrugada,
água pura, ar puro,
puro pensamento.
Morrer acontece
com o que é breve e passa
sem deixar vestígio.
Mãe, na sua graça,
é eternidade.
Por que Deus se lembra
– mistério profundo –
de tirá-la um dia?
Fosse eu Rei do Mundo,
baixava uma lei:
Mãe não morre nunca,
mãe ficará sempre
junto de seu filho
e ele, velho embora,
será pequenino
feito grão de milho.”

2. Mãe, de Mario Quintana
MÃE…
São três letras apenas,
As desse nome bendito:
Três letrinhas, nada mais…
E nelas cabe o infinito
E palavra tão pequena-confessam mesmo os ateus-
És do tamanho do céu
E apenas menor do que Deus!

3. escrito por Rui Barbosa
“Se um dia, já homem feito e realizado, sentires que a terra cede a teus pés, que tuas obras desmoronam, que não há ninguém à tua volta para te estender a mão, esquece a tua maturidade, passa pela tua mocidade, volta à tua infância e balbucia, entre lágrimas e esperanças, as últimas palavras que sempre te restarão na alma: minha mãe, meu pai.”

4. de Khalil Gibran (minha preferida e inspiradora poesia!)
“Teus filhos não são teus filhos
São filhos e filhas da vida, anelando por si própria
Vem através de ti, mas não de ti E embora estejam contigo, a ti não pertencem.
Podes dar-lhes amor mas não teus pensamentos,Pois que eles tem seus pensamentos próprios.
Podes abrigar seus corpos, mas não suas almas Pois que suas almas residem na casa do amanhã, Que não podes visitar se quer em sonhos. Podes esforçar-te por te parecer com eles, mas não procureis fazei-los semelhante a ti, Pois a vida não recua, não se retarda no ontem.
Tú és o arco do qual teus filhos, como flechas vivas, são disparados… Que a tua inclinação na mão do Arqueiro seja para alegria.”

5. Mãe, de Cora Coralina
Renovadora e reveladora do mundo
A humanidade se renova no teu ventre.
Cria teus filhos,
não os entregues à creche.
Creche é fria, impessoal.
Nunca será um lar
para teu filho.
Ele, pequenino, precisa de ti.
Não o desligues da tua força maternal.
Que pretendes, mulher?
Independência, igualdade de condições…
Empregos fora do lar?
És superior àqueles
que procuras imitar.
Tens o dom divino
de ser mãe
Em ti está presente a humanidade.
Mulher, não te deixes castrar.
Serás um animal somente de prazer
e às vezes nem mais isso.
Frígida, bloqueada, teu orgulho te faz calar.
Tumultuada, fingindo ser o que não és.
Roendo o teu osso negro da amargura.”

imagem1

6. Poema à Mãe, de Eugènio de Andrade
“No mais fundo de ti,
eu sei que traí, mãe
Tudo porque já não sou
o retrato adormecido
no fundo dos teus olhos.
Tudo porque tu ignoras
que há leitos onde o frio não se demora
e noites rumorosas de águas matinais.
Por isso, às vezes, as palavras que te digo
são duras, mãe,
e o nosso amor é infeliz.
Tudo porque perdi as rosas brancas
que apertava junto ao coração
no retrato da moldura.
Se soubesses como ainda amo as rosas,
talvez não enchesses as horas de pesadelos.
Mas tu esqueceste muita coisa;
esqueceste que as minhas pernas cresceram,
que todo o meu corpo cresceu,
e até o meu coração
ficou enorme, mãe!
Olha — queres ouvir-me? —
às vezes ainda sou o menino
que adormeceu nos teus olhos;
ainda aperto contra o coração
rosas tão brancas
como as que tens na moldura;
ainda oiço a tua voz:
Era uma vez uma princesa           no meio de um laranjal…
Mas — tu sabes — a noite é enorme,
e todo o meu corpo cresceu.
Eu saí da moldura,
dei às aves os meus olhos a beber,
Não me esqueci de nada, mãe.
Guardo a tua voz dentro de mim.
E deixo-te as rosas.
Boa noite. Eu vou com as aves. ”

7.Pequeno Poema, de Sebastião da Gama
“Quando eu nasci,
ficou tudo como estava.
Nem homens cortaram veias,
nem o Sol escureceu,
nem houve estrelas a mais…
Somente,
esquecida das dores,
a minha Mãe sorriu e agradeceu.
Quando eu nasci,
não houve nada de novo
senão eu.
As nuvens não se espantaram,
não enlouqueceu ninguém…
Pra que o dia fosse enorme,
bastava
toda a ternura que olhava
nos olhos de minha Mãe…”

8. Mater, de Olavo Bilac
“Tu, grande Mãe!… do amor de teus filhos escrava,
Para teus filhos és, no caminho da vida,
Como a faixa de luz que o povo hebreu guiava
À longe Terra Prometida.
Jorra de teu olhar um rio luminoso.
Pois, para batizar essas almas em flor,
Deixas cascatear desse olhar carinhoso
Todo o Jordão do teu amor.
E espalham tanto brilho as asas infinitas
Que expandes sobre os teus, carinhosas e belas,
Que o seu grande dano sobe, quando as agitas,
E vai perder-se entre as estrelas.
E eles, pelos degraus da luz ampla e sagrada,
Fogem da humana dor, fogem do humano pé,
E, à procura de Deus, vão subindo essa escada,
Que é como a escada de Jacó.”

9.Poema à Mãe Angolana, de Eugénia Neto
“Avança Mãe Angolana
E dá o melhor de ti própria
Nesta luta de vida ou de morte
Avança pelos rios perigosos
Pelos pântanos lodosos
Pela savanas sem fim
Avança pelo incomensurável horror da guerra
Entre a chuva de bombas que ilumina a terra
Mas avança porque é necessário
Avança com teus braços feitos asas
Abertas sobre o solo pátrio
Para proteger os teus filhos
Não te detenhas nos gemidos do vento
Não prendas à forma das flores
Sublima o amor neste momento
Avança Mãe Angolana
Que a tua coragem fará vacilar os soldados
Os soldados que já foram meninos
Os soldados
A que o fascismo tolheu a vontade
E que caminham sobre os cadáveres das crianças
Com risos sarcásticos de vingança…
Avança Mãe Angolana
Na terra ensopada de sangue
Dor e lágrimas
Causadas pela guerra
Que ela florescera
Sustentada pelo teu querer
E terás para os teus filhos
O sol aberto nas pétalas
E a serenidade dos heróis
Depois de ganha a batalha.”

10. Minha Mãe, do grupo Turma do Balão Mágico.
“Hoje é um dia tão especial
Pra você
Que não dá pra esquecer
Em vez de comemorar eu queria te agradecer
Por tudo o que me fez
Você me viu nascer, crescer e andar
E a cada passo meu cuidava de mim
Me ensinou tudo o que eu sei
E muito mais
E agora é hora de dizer o que aprendi
Minha mãe
O que passou por mim ninguém vai passar
Minha mãe
Eu sei o que sofreu por mim sem reclamar
Você daria a vida por mim
Só pra me defender
Faria qualquer coisa por mim sem se arrepender
Esse é o dom de amar que Deus te deu
Minha mãe
Valeu pelo carinho e atenção
Minha mãe
Valeu do fundo do meu coração
Pra você o seu maior presente fui eu
Então saiba que pra mim nós somos iguais
Pois você é o melhor dos presentes que Deus me deu”.

image_largeTodas as imagens desse post são quadros da pintora alemã que tanto gosto: Paula Modersohn-Becker. Ela viveu entre 1876 e 1907, cresceu em Bremen (uma cidade aqui perto da minha) e se tornou uma das representantes mais precoces do movimento expressionista. Hoje é considerada a pintora da maternidade! 

url2

Um ótimo dia das mães para todas nós,

Com todo o carinho do blog para você!

asupermammy.com

facebook.com/asupermmay

0

Devemos comemorar o dia das bruxas?

Nunca tive o costume de comemorar o dia das bruxas quando criança. Apenas quando cresci e fui para a escola de inglês é que participei de algumas festas consideradas típicas nos EUA, embora seja uma festividade originada dos celtas.

Quando mudei para Alemanha, descobri que aqui as pessoas comemoram também. Nos mercados é possível encontrar fantasias, máscaras, abóboras, enfeites para casa, comidas coloridas e muito mais. Meus filhos tiveram a curiosidade de participar de uma festinha há dois anos atrás.

9e77ce1696ccb5d6167d9a9b0071eddc-halloween-cartoon-girl-witch-costumeFiquei meio com receio. Para os católicos e cristãos, a festa das bruxas é uma festa satânica que cultua os espíritos do mal e maldade. A feitiçaria, o ocultismo, e a adoração do mal são temas que não combinam com o cristianismo. Da mesma forma os cristãos são livres e podem fazer suas escolhas.

Quando fiquei sabendo que a turminha do bairro iria sair andando pela rua fantasiados e pedindo doces e que meus filhos queriam participar de tudo isso, fui buscar um texto que me convencesse a não deixá-los ir. Encontrei este aqui, da jornalista Jurema Aprile:

” Os celtas, um povo que viveu há muito tempo na região onde hoje ficam a Inglaterra, a Escócia e a Irlanda, bem antes do nascimento de Jesus Cristo, comemoravam o Dia de Samhain (pronuncia-se “so-in”) em 31 de outubro. Era o final de um ano e começo de outro, o fim da “temporada do sol” e o começo do frio, quando chegava o inverno e a terra congelava. A data significava também a abertura do portal entre o mundo dos mortos e o dos vivos.

As pessoas acreditavam que nesse dia, as almas dos mortos vinham à procura dos vivos, e tinham muito, muito medo dessa “visita” anual. Daí resolveram se vestir da forma mais estranha possível nessa data, para não parecerem humanos e despistarem os espíritos.

Tempos depois, os celtas foram conquistados pelos romanos, que eram guerreiros e dominavam novas terras e povos, há quase dois mil anos. Seus costumes e festivais se misturaram com os do lugar: eles comemoravam o Dia de Pomona na mesma época do Samhain. Pomona era uma deusa que protegia a agricultura, as frutas e os jardins. Assim, espigas de milho e maçãs, simbolizando fartura de alimentos para as colheitas do ano seguinte, foram incluídas na antiga festa celta.

Mais tempo, quase mil anos, se passou e o feriado foi somado ao que a Igreja comemorava em primeiro de novembro, chamado de All Hallows Day (Dia de Todos os Santos, em inglês). E o dia anterior, o 31 de outubro, ficou conhecido como Hallows Eve, ou véspera de Todos os Santos, dando origem ao nome que conhecemos hoje, Halloween.

Mas as pessoas não esqueceram as festas originais dos celtas e continuaram a acender fogueiras e dançar em volta, fantasiadas de esqueletos, diabinhos, fantasmas e monstros, enfeitando as casas com lanternas feitas de abóboras escavadas e iluminadas por dentro com a chama de uma vela. E conservaram várias das superstições desse festival.

Por exemplo, se uma moça descascar uma maçã sem romper a casca e atirá-la para trás, por cima do ombro, à meia-noite, ao cair no chão ela formará a primeira letra do nome de seu futuro marido. Na Irlanda, as crianças iam de casa em casa pedindo alimentos para comemorar a noite de Halloween, o que deu origem ao hábito de pedir doces dizendo: gostosuras ou travessuras!

Como você pode ver, o Halloween, ou Dia das Bruxas como é chamado por aqui, é uma soma de várias tradições muito antigas dos povos da Europa, e, mais tarde, da América do Norte. Hoje essa data é comemorada principalmente na Inglaterra, na Irlanda, nos Estados Unidos e no Canadá, mas já existem festividades também no Brasil.

Vários grupos ligados ao folclore brasileiro, isto é, nossa cultura popular, protestam contra a adoção dessa festividade “importada”. E criaram o Dia do Saci, em 31 de outubro, para valorizar as lendas brasileiras. Caso você queira conhecer ou aderir a essa causa conheça o site da SoSaci – Sociedade dos Observadores de Saci.”

Muitos celebram o Halloween sem pensar em seu significado, apenas como uma forma divertida de fantasiar-se, enxergando isso como algo inocente e inofensivo. Meus filhos queriam porque queriam participar! Como eram pequenos e sempre os incentivei a participarem das festas do bairro – para estarem mais próximos da cultura alemã – achei controverso não deixá-los ir. Além do que conversar sobre toda essa questão entre o bem e o mal, satanismo e tudo mais seria muito para a idade deles.

Fizemos assim: preparamos vários saquinhos de doce e combinamos que ao invés de pedirmos, nós iríamos dar as gostosuras, assim faríamos uma boa ação no meio de tantos bruxinhos soltos lá fora. Eles adoraram a ideia, preparamos juntos os saquinhos e improvisamos as fantasias.

Nossa caminhada pelo bairro durou 20 minutos no máximo, porque o frio começou congelar a nossa smallalegria. Voltamos para casa, tomamos um delicioso chocolate quente e nunca mais tocamos no assunto. O ano passado não demonstraram interesse algum, e esse ano muito menos, cheguei até perguntar por curiosidade.

Acho que toda a minha preocupação me fez ver que ao invés de proibirmos e batermos de frente com assuntos e ações que não nos agradam – mas que passam pela cabeça dos nossos filhos – o melhor a fazer é orientá-los e estar juntos, participando e refletindo sobre nossas ações.

E vocês, o que acham? Como encaram a festa de Halloween? Deixe seu comentário…

2

Presente para o dia das crianças. (Leia antes de comprar)

Outubro chegou! Mês da música, das abelhas, do correio, do fisioterapeuta, do idoso, dos professores, dos médicos, do livro, do descobrimento da América, da padroeira do Brasil, nossa Senhora Aparecida e é claro, outubro é mês das CRIANÇAS!

E para celebrar este dia, que tal um presente diferente? Que tal oferecer menos brinquedos e mais presença? Vamos desvincular este dia do consumismo, do shopping, das compras e criar a oportunidade de fazer algo legal em família.

Uma vez publiquei esta frase na fanpage do Blog:

2013.01.28

Concordo muito com ela. O que me deixa mais feliz ao me lembrar da minha infância, foram os momentos em que me diverti junto aos meus pais. E quero isso para meus filhos também. Brinquedos eles possuem mais do que o suficiente. Então quero que tenham alegres lembranças da infância.

Tá sem ideias? Eu ajudo. Separei 14 atividades legais e divertidas para fazer no dia da criança com a garotada:

1. Piquenique

Monte uma cesta com petiscos deliciosos, uma toalha para forrar o chão e um kit com bola, corda para pular, peteca, frisbee e um livro legal para ler para seus filhos. Escolha um local agradável e divirtam-se uma tarde inteira. Sem celular, sem internet, sem trabalho, sem adultos, apenas vocês e eles.

2. Zoológico

Tem zoológico na cidade ou um bosque com animais? Passem o dia das crianças lá! Você pode levar um livro sobre animais e curtir cada momento com a criançada. Brinquem de caça ao tesouro: escolham alguns animais do livro e procurem no zoológico. Quem sabe dar comida para os bichinhos, se o zoológico permitir, passear de trenzinho, tomar sorvete e comer cachorro quente.

3. Encontro de primos

Combine com os parentes de encontrar todas as crianças da família em um parque para comemorar o dia das crianças. Cada um leva um prato e pode rolar aquele delicioso lanche comunitário. Pensem em brincadeiras para fazer com as crianças, o legal é participar também, essa é a ideia.Brinquem junto!

4. Museu

Você já foi a um museu com seu filho? Este dia é uma ótima oportunidade para conhecer e vivenciar um pouquinho esta experiência de conhecimento e aprendizado. Pesquise antes sobre o tema do museu e ajude a explicar e deixar mais interessante o passeio para a criançada. Depois vale passar na sorveteria mais gostosa da cidade!

5. Fazer brinquedos de sucata

Separe materiais como embalagens pets, caixas vazias, cola, jornais, revistas, tintas, durex, etc… e passem uma manhã toda criando os jogos e brinquedos. Deixe preparado já aquela lasanha saborosa que toda criança gosta! Depois do almoço, divirtam-se brincando com o que criaram!

6. Pintar um quadro

Compre uma tela e pinte um quadro com seu filho. Escutem uma música, pensem nas cores, nas ideias e mãos à obra. Depois pendure em algum lugar da casa. Toda vez que seu filho olhar o quadro sentirá o orgulho de ter feito com você.

7. Construam uma cabana.

Passem uma tarde, e por que não o dia, numa barraquinha dentro de casa! Monte uma cabana grande com seu filho, e depois fiquem lá dentro conversando, jogando xadrez, comendo gostosuras, lendo um livro, ô delícia!! Passar uma tarde assim é um presente para nós também.

8. Cineminha com pipoca!

Durante a noite, transforme a sua sala em um cinema. Alugue um filme legal (olhem isso: “Preparem a pipoca… 50 filmes da infância para assistir com a criançada”), pegue almofadas fofinhas, estoure pipoca (tem receita de pipoca doce aqui!), feche as cortinas e fique agarradinha com ele assistindo um filme de criança. Depois, podem conversar sobre o filme, falar dos personagens, do que cada um mais gostou, das músicas legais…

9. Cozinhar juntos.

Escolham um menu e prepare com seu filho um almoço especial. Fiquem a manhã toda cozinhando, escutando música, conversando. Deixe que eles coloquem a mão na massa, que lavem um pouquinho as louças, que ajudem arrumar a mesa. E por falar em mesa, vale a pena mudá-la de local e fingir que estão em um restaurante! (Acha que eles não conseguem? Então leia “Independência – O caminho que nossos filhos precisam trilhar desde pequenos … e sozinhos”)

10. Fantasias

Deixe a imaginação desperta e brinque de fantasiar com seu filho. Vale colocar a roupa da mamãe, ou usar uma outra bem velha, ou toda colorida. Depois de fantasiados, vocês podem fazer um show de talentos e cantar, dançar, inventar poesias, histórias…

11. Jogos de tabuleiro.

Passe uma tarde em casa ou em um parque brincando com algum jogo de tabuleiro. É divertido, vocês podem conversar bastante e ficar próximos, fazendo a mesma coisa juntos. Quantas vezes vezes na semana você reserva um tempo para fazer alguma coisa divertida com seu filho?

12. Andar de bicicleta.

Escolha um roteiro, ponha na mochila água, sucos e lanchinhos, peque os capacetes e passem o dia pedalando e parando em praças e parques. Um dia ao ar livre inesquecível, mas que exige energia e cuidados com a rota escolhida.

13. Passear pela cidade.

Você conhece mesmo sua cidade? Aproveite este dia para conhecer uma praça nova, ou um museu, espaço cultural, etc… Caminhem, visitem estátuas, pontos turísticos e marcos históricos. Pesquise antes tudo que sua cidade oferece e monte um roteiro!

14. Atividades culturais

No dia das crianças muitas cidades oferecem gratuitamente atividades para a família: teatro, contadores de histórias, música ao ar livre. Entre no site da sua cidade e fique por dentro destas atividades. É uma experiência saudável e divertida para as crianças.

Mas… e o presente?

Para enriquecer ainda mais este dia da criança, você pode junto com seu filho, comprar um presente para uma criança carente, ou doar algum dinheiro para ajudar na cura de alguma criança doente, como no caso do Pedrinho, olha a fan page dele aqui: https://www.facebook.com/ajudeopedrinhoacontinuarsorrindo?fref=photo .

Seu filho ganhará um dia divertido e uma linda lição de solidariedade. (Caso interesse leia: “10 formas para ajudar seu filho a ser mais solidário no futuro”).

Espero que tenham gostado!

Beijos em todas as super mamães!

facebook.com/asupermammy

asupermammy.com

2

Penteados para as mamães arrasarem até o fim da festa!

Penteados para as mamães arrasarem até o fim da festa? Hã? Como assim?

Esses dias fui a um aniversário e deixei meu cabelo bem bonito, solto e penteado. A festa estava ótima, as crianças se divertiram, conversei com os amigos, brinquei com as crianças, comida saborosa, tudo nota mil!

Quando vi as fotos no dia seguinte, quase caí do sofá. Eu estava totalmente descabelada! Também, ficar arrumada do início ao fim de uma festa não é lá uma missão tão simples para uma mãe de três!

Retocar o batom? Não dá. Até porque muitas vezes vou para a festa sem bolsa mesmo. Mala do bebê, carrinho, máquina fotográfica. Muita coisa para levar e sempre esqueço do batom. Menos quando saio com minha super mochila, vejam em “O que não pode faltar na bolsa da mãe”.

Passar no banheiro, olhar no espelho e ajeitar o penteado? Geralmente estou com um bebê no colo e uma fralda do outro lado. Até vejo que estou desarrumada, mas precisaria de uma terceira mão para conseguir dar uma ajeitadinha no visual!

Durante a festa é aquela agitação. Abaixa aqui, levanta ali, segura um, dá comida para outro e o cabelo armando… Então pensei comigo: Festa de cabelo solto? Agora só vou quando eu tiver uma babá ou quando eles crescerem um pouquinho mais.

Como os sapatos de salto alto já estão pegando pó aqui em casa, não posso relaxar mais! Então separei uns penteados fáceis, bonitos e PRESOS para poder usar e ficar bem na foto até o fim da festa!

O que acham desses aqui?

Eu gostei. Mas sou péssima quando o assunto é penteado e maquiagem. Não faço direito em mim e nem em ninguém. Pode ser que o resultado saia pior do que se eu fosse com o cabelo solto mesmo. Aí eu seria descabelada do início ao fim.

Este post teria sido encerrado no parágrafo acima, se não fosse a sabedoria infantil. Eis que minha filha apareceu aqui na sala e conversa vai, conversa vem, acabei mostrando as fotos dos penteados para ela e expliquei um pouquinho sobre este post. Ela disse que sou sempre linda (ai como a gente se derrete, né? Mesmo sabendo que é mentira!) e ainda disse que poderia me ajudar.

Então combinados assim: toda vez que eu estiver despenteada ela vem me arrumar. Mas se esse negócio de arruma aqui penteia ali ficar chato, nós vamos apenas nos divertir, nos esbaldar até ficarmos mais e mais descabeladas, desarrumadas e pingando.

E não é que ela está certa?!

Afinal de contas que graça tem chupar sorvete sem toda aquela meleca? O que seria da manga sem aquele sorriso bonito cheio de fiapos? Mais vale uma roupa suja de tanto brincar, do que limpinha e passada guardada na gaveta.

A infância voa e eu quero voar com eles.

Beijinhos e até a próxima!

 

0

Brasil! Que tal ensinar seu filho a cantar o Hino Nacional?

Ah! Sem dúvidas o hino brasileiro é uma obra que emociona. Esses dias estava conversando com meu filho sobre futebol, copa do mundo, e ele me perguntou como cantava o Hino do Brasil. Foi aí que me dei conta que ele tem 8 anos e precisa aprender um pouco mais sobre esse e outros símbolos brasileiros.

Para outras mamães que assim como eu moram fora do país, inserir a cultura do Brasil no cotidiano dos nossos filhos é de certa forma fortalecer as suas raízes e relembrar as suas origens. Só tem a acrescentar! Aqui em casa mistura-se o Brasil e a Alemanha em forma de músicas, comidas, brincadeiras, expressões, gírias, sotaques, brinquedos, filmes… Ficamos com o melhor dos dois, e a criançada se enriquece culturalmente e se diverte que é uma beleza!

Vamos ao hino?

Quem escreveu o Hino Brasileiro atual foi Joaquim Osório Duque Estrada e a letra foi musicada pelo Francisco Manuel da Silva, de acordo com os Decretos nº 171, de 20 de janeiro de 1890, e nº 15.671, de 6 de setembro de 1922. Em 1971, uma série de regras foram estabelecidas para a execução do hino, quem quiser dar uma olhadinha só por curiosidade clique aqui.

E por falar em curiosidades, inúmeros fatos interessantes marcaram a escolha do hino nacional brasileiro, eu fui ler no Guia do Curiosos e achei informações legais que eu não aprendi na escola. Vale a pena ler e conferir!

Segue a letra…

Parte 1 –

Ouviram do Ipiranga às margens plácidas
De um povo heroico o brado retumbante
E o sol da Liberdade, em raios fúlgidos
Brilhou no céu da Pátria nesse instante

Se o penhor dessa igualdade
Conseguimos conquistar com braço forte
Em teu seio, ó Liberdade
Desafia o nosso peito a própria morte!

Ó Pátria amada
Idolatrada
Salve! Salve!

Brasil, um sonho intenso, um raio vívido
De amor e de esperança à terra desce
Se em teu formoso céu, risonho e límpido
A imagem do Cruzeiro resplandece

Gigante pela própria natureza
És belo, és forte, impávido colosso
E o teu futuro espelha essa grandeza

Terra adorada
Entre outras mil
És tu, Brasil
Ó Pátria amada!

Dos filhos deste solo és mãe gentil
Pátria amada
Brasil!

Parte 2 –

Deitado eternamente em berço esplêndido
Ao som do mar e à luz do céu profundo
Fulguras, ó Brasil, florão da América
Iluminado ao sol do Novo Mundo!

Do que a terra mais garrida
Teus risonhos, lindos campos têm mais flores
“Nossos bosques têm mais vida”
“Nossa vida” no teu seio “mais amores”

Ó Pátria amada
Idolatrada
Salve! Salve!

Brasil, de amor eterno seja símbolo
O lábaro que ostentas estrelado
E diga o verde-louro desta flâmula
– Paz no futuro e glória no passado

Mas, se ergues da justiça a clava forte
Verás que um filho teu não foge à luta
Nem teme, quem te adora, a própria morte

Terra adorada
Entre outras mil
És tu, Brasil
Ó Pátria amada!

Dos filhos deste solo és mãe gentil
Pátria amada
Brasil!

Espero que tenham gostado! E para continuar em ritmo de copa, vocês podem se interessar também por este post: 10 coisas que as crianças aprendem colecionando álbum de figurinhas. Boa leitura!