2

Sweet Porcorn with Chocolate!!! Hum…

chocolate drizzled caramel popcorn

Pipoca doce já é uma delícia, com chocolate, então… de dar água na boca! As crianças amaram e hoje vamos fazer mais uma vez.

Receitinha: Sweet Popcorn com chocolate

Ingredientes:

  • Milho de pipoca
  • Açúcar
  • Água
  • Óleo
  • Chocolate (ao leite, branco, meio amargo…)
  • Papel manteiga ou alumínio

Preparo:

1. Estoure a pipoca com água ou óleo como de costume e espalhe sobre uma folha de papel manteiga ou papel alumínio. (sem salgar)

img_9997

 

 

 

 

 

 

2. Derreta uma xícara de açúcar para fazer o caramelo e adicione aos poucos 50 ml de água filtrada. Caso precise de mais água, sem problemas, vai colocando até formar uma calda não muito grossa e nem rala demais.

caramel

 

 

 

 

 

 

3. Espalhe sobre a pipoca o caramelo com um garfo ou colher, em movimentos verticais e horizontais, cobrindo boa parte da pipoca.

img_0005

 

 

 

 

 

4. Derreta o chocolate e faça o mesmo movimento com a colher ou garfo, espalhando essa delícia derretida sobre a pipoca.

img_0009

 

 

 

 

 

5. Passe para uma tigela e é só saborear!

Existe uma variação, se você tiver paciência fica legal para festinhas de aniversário. É assim, na hora de caramelizar, faça bolinhas com as pipocas, pressionando-as na sua mão. Depois espalhe o chocolate. Fica super bonitinho, mas dá um trabalho! Eu vi essa ideia em um programa de culinária, e ainda não fiz. Quem fizer conta para mim!

dsc_0562

 

 

 

 

 

Gostaram? Então comentem e me contem como ficaram a receita de vocês. Beijinhos e um ótimo fim de semana 🙂

asupermammy.com

facebook.com/asupermammy

0

Stockbrot!! O pão no espeto que faz o maior sucesso entre a criançada.

knackundbackStockbrot é mais uma das deliciosas e interessantes tradições aqui na Alemanha. A primeira vez que vi este pão sendo feito confesso que fiquei assustada. Também não é por menos. Imagem só uma festa na escolinha do seu filho, aí você chega lá e tem uma fogueira enorme e a criançada fica correndo em volta com galhos de árvores na mão. Depois eles correm até a professora e está enrola uma massa no galho da árvore e entrega outro espeto com uma salsicha enfiada. Então seu filho corre até a fogueira para assar o pão e salsicha e comer sozinho, sem te perguntar muita coisa. Caso eles estivessem na faculdade, então tudo bem, até poderia ser normal, rsrsrs, mas no maternal!? Ah… é muita emoção para o coração de uma mãe!!!

Com o tempo vi que as crianças aqui na Alemanha são mais livres e me acostumei. Hoje acho o máximo educar à moda alemã e tento ponderar as duas culturas, e aproveitar o que melhor as duas possuem a oferecer. Mas enfim, vamos ao pão?

Osterfeuer é uma festa tradicional na Alemanha que acontece na noite de sábado do fim de semana da Páscoa. Bairros se reúnem para socializar e comer algumas salsichas junto do pão assado no espeto, o famoso StockBrot. stockbrot_4

Esta tradição se expandiu a outras festividades, como por exemplo, em festinhas de escola. A ideia é saborear o pão em um momento de confraternização e socialização. Sempre acontece em épocas frias, ou seja, quase o ano inteiro é possível encontrar alguém fazendo este pão na brasa, que também é conhecido por aqui como pão francês, pão regional ou bolo de vara. Já na Suíça tem o nome de pão cobra!

Caso você venha para a Alemanha, dificilmente encontra-rá este pão à venda em alguma festinha. A tradição é de que seja algo entre amigos, colegas, vizinhos. Mas você não vai ficar com vontade porque eu vou passar a receitinha já e vocês podem preparar no próximo churrasco, por exemplo.

Receita do Pão na Brasa ou Stokbrot


Tempo de preparo: 10 minutos + tempo de repouso (+- 3 horas)                                                 

Calorias: 249 (por 100 gramas)

Custo: $

Nível de Dificuldade: Fácil

INGREDIENTES.                                                                                                                                              * 1 kg de farinha
* 2 quadradinhos de fermento biológico
* 500 ml de água morna
* 1 colher (de chá) de sal

foto studio

MODO DE FAZER.
1. Adicione o fermento com a água morna em uma tigela e dissolva-o.
2. Coloque o sal e a farinha. (você pode incrementar a receita com cubinhos de bacon ou presunto, ervas finas, cebolinha, … aproveite porque a hora de acrescentar é agora!)
3. Amasse e por dez minutos. A massa fica boa, não pegajosa.
4. Deixe descansar por 3 horas.
5. Enquanto isso pegue gravetos compridos de uma árvore (não venenosa por favor, heim?!) e enrole papel alumínio a partir da ponta até mais ou menos uns 30 com em cada uma das varetas.
6. Quando der a hora de pegar a massa, separe em bolas (pouco maior que um ovo de galinha).
7. Abra, formando uma salsicha, cada uma das bolinhas.
8. Enrole no espeto, sob o papel alumínio e pressione bem.
9. Depois é só colocar para assar na churrasqueira ou na brasa de uma fogueira! (passar uma manteiguinha de alho sob o pão antes de assar o Stockbrot dá um toque especial!)

Fotor0828104139

É uma delicia, as crianças AMAM e dá para bater um bom PAPO com essa turminha enquanto se espera para COMER este pão quentinho! Bom apetite 🙂

facebook.com/asupermammy

4

Banana Pops!!

Olhei para as bananas da fruteira e deu aquele estalo de preparar algo gostoso para as crianças, afinal hoje é sexta-feira e esse verão alemão de 16º está pedindo um chocolatinho. Banana Pops, que tal?

Fotor082216360

Você vai precisar de poucos ingredientes e o preparo demora menos de 10 minutos, te juro, veja só:
* Bananas
* Chocolate (qualquer um aí do armário: ao leite, meio amargo, branco,…)
* Palitos de churrasco ou de cake pops, sorvete, …)
* Granulados (de chocolate, coloridos, nozes triturada, amêndoas picadinhas, coco ralado, …)

Derreta o chocolate no banho maria e passe as bananas ou vá jogando o chocolate com uma concha. Não tem segredo, é só colocar o granulado predileto e deixar na geladeira por 30 minutos. Olhe essa variação que legal:

Fotor082216186

O nosso aqui de casa ficou assim:

Fotor082216262Mamães um super beijo e um final de semana bem docinho para vocês … e “pros” pitucos também!! 😉

asupermammy.com

8

Tudo sobre alimentação de bebês! Nutricionista responde as nossas maiores dúvidas.

Quem tem bebê em casa? Eu!! Por mais que seja meu terceiro filho, as dúvidas sempre aparecem na hora de iniciar a fase da alimentação do bebê. Isso porquê é um momento delicado, importante e que gera uma ansiedade enooooorme nas mamães. img_5519
Para me ajudar nesta fase importante do meu bebê, a nutricionista Giovana Bagarollo Rossi respondeu todas as minhas perguntas e dúvidas. Disponibilizo a entrevista aqui para vocês, queridas leitoras e mamães!

1. Quando começar a dar papinha para o bebê e de que forma?
Ao bebê deve ser oferecido apenas o leite materno até os 6 meses de vida. Quando o bebê atingir essa idade, iniciamos com as papinhas, de forma lenta e gradual, mantendo o leite materno até quando a mãe puder (a OMS preconiza até os 2 anos ou mais).
Nessa época dos 6 meses até os 12 meses, a alimentação é COMPLEMENTAR ao leite, e não o substitui. Tudo deve ser feito gradualmente, pois o bebê está se adaptando aos novos sabores e texturas, à colher, à temperatura. São 6 meses para que tudo isso ocorra, até que aos 12 meses a alimentação já está próxima à da família, com apenas algumas adaptações.

2. Uso alho, cebola e azeite para temperar? Existe alguma restrição?
O uso de temperos naturais é recomendado sim, e não há restrição para nenhum deles. Desde cebola e alho, à salsinha, cebolinha, coentro, orégano… Azeite é essencial colocar um fio, para dar sabor e fornecer os nutrientes que este alimento tem. Como o item anterior, tudo é feito de forma gradual, e o tempero precisa ser suave, pois o paladar está sendo moldado. O sal é o mínimo possível, justamente para que o bebê possa experimentar os sabores naturais dos alimentos e se acostumar com menos sal.

3. O que devo pensar na hora de escolher os alimentos da papinha do bebê?
Cada cor representa um nutriente, e assim, um benefício deste alimento para nossa saúde. Portanto, na hora de escolher os alimentos, devo pensar em um prato colorido (vide tabela). Além disso, devo utilizar alimentos que estão no período de safra, pois estes terão mais qualidade e frescor. Alimentos integrais podem e devem ser oferecidos aos bebês (arroz ou pães integrais ou 7 grãos).
Os alimentos devem ser oferecidos preferencialmente “mal” amassados. Não é recomendado o uso de liquidificador ou processador, pois os alimentos ficam muito triturados e com o sabor todo misturado. Ao amassar com o garfo, deixar pedaços menores, para que o bebê sinta a textura e os sabores separados.
As papas desde o início podem conter carne bem desfiada (bovina, frango, peixe) ou o caldo dessas carnes. Ovos somente a gema e bem cozida até os 12 meses.
4. A partir de que idade pode usar mel na papinha de frutas ou nos sucos?
O ideal é que o bebê nem precise de mel, que seja acostumado ao sabor natural das frutas. Pode ser adicionado à papas doces ou sucos apenas após os 12 meses de vida, com cuidado, pois é um alimento muito doce, e como os bebês tem preferência por doces, talvez ele só passe a aceitar frutas com mel, sucos com mel. Assim como o sal, menos é mais nessa fase de construção do paladar.

5. Qual a quantidade de papinha salgada que meu filho deve comer? Quantas vezes ao dia?
Aos 6 meses a alimentação complementar pode ser oferecida 3 vezes ao dia para a criança que recebe leite materno, e 5 vezes ao dia para a criança que estiver desmamada.*IMPORTANTE: O esquema alimentar é para crianças que ainda estão com leite materno. Dependendo da idade que houver o desmame, há outro esquema alimentar, que depende justamente da idade. A nutricionista pode indicar individualmente.
O esquema não tem horários pré definidos inicialmente, pois é livre demanda, assim como a quantidade: dar o volume que o bebê aceitar. Porém, gradualmente (até os 12 meses) ir adaptando horários conforme a alimentação da família.

6. Bebês sentem sede?
Sim, a partir do momento que iniciar a alimentação complementar, devemos iniciar com a água, livre demanda. Antes disso não é necessário, pois o leite materno supre todas as necessidades do bebê, inclusive de água.
Sede é muito pessoal, tem bebês que tomam muita água e tem bebês que não tomam quase nada. Ofereça sempre, e principalmente em épocas mais quentes. Se seu bebê não é muito fã de tomar água, experimente oferecer em diferentes temperaturas e copos, talvez nessas alterações seja possível encontrar uma forma ideal de oferecer água ao seu bebê.

7. Quando devo introduzir sucos no dia a dia do bebê? Em que quantidade?
Sucos podem ser oferecidos nos lanches de frutas, mas não são as melhores opções, devido à total falta de textura. Pode ser oferecido junto com as papas salgadas, porém, com controle da quantidade, senão o bebê pode se satisfazer apenas com o suco (visto que eles preferem o doce ao salgado). Ao acompanhar as refeições, dê preferência ao suco de laranja, pois este contém vitamina C, geralmente são feitos da fruta fresca mesmo em restaurantes, e ajudam na absorção de ferro.

8. Para os pais que são vegetarianos, carnes são importantes para os bebês?
Carnes fornecem ferro de um tipo específico (HEME) e são a única fonte deste ferro. Os vegetais verde-escuros contém ferro também, mas de outro tipo (NÃO HEME). Como somos animais, absorvemos melhor o ferro do tipo heme.
Famílias vegetarianas precisam consumir uma quantidade maior de vegetais verde-escuros justamente para suprir essa necessidade e de preferência, associar ao consumo de suco de laranja, ou a fruta mesmo após a refeição para aumentar a disponibilidade deste nutriente no organismo. Adultos entendem isso, porém, bebês estão formando seu paladar, e dependendo da aceitação desses vegetais, não tem consumo desse nutriente tão importante na quantidade adequada. Os pais vegetarianos que querem que seus filhos também sejam devem avisar ao pediatra e/ou nutricionista e acompanhar de perto o consumo destes alimentos.

9. O que não colocar na papinha?
Açúcar, café, enlatados, frituras, refrigerantes, balas, salgadinhos, guloseimas em geral e produtos industrializados em geral não devem fazer parte da alimentação dos bebês. Quanto mais tarde o bebê for apresentado a estes alimentos, melhor. O paladar do bebê é um quadro em branco, e podemos pintar como quisermos, e disso depende a alimentação dele no futuro.

10. Quais são as frutas mais indicadas para iniciar esta fase importante na vida do bebê?
Qualquer fruta é indicada. É importante oferecer com diversidade e de acordo com a safra, para garantir alimentos mais frescos. Quanto mais frutas (tipos), mais variado será o paladar do bebê. Geralmente inicia-se com maçã, banana, mamão, pera, melão, melancia, morango…

11. Vamos falar sobre BLW? img_5526
BLW nada mais é que a sigla para BABY LED WEANING, ou seja, deixar o bebê se alimentar sozinho, levando o alimento à boca desde o início da introdução da alimentação.
É uma técnica nova, que iniciou nos Estados Unidos para favorecer a alimentação natural dos bebês. Consiste em oferecer um pedaço adequado para que o bebê consiga segurar sozinho, levar à boca e literalmente se “lambuzar”. Essa técnica garante que dessa forma os bebês são mais estimulados e tem maior interesse pelos alimentos.
Eu acredito ser uma forma muito divertida para os bebês, que são grandes descobridores nessa idade. Podem ser ofertadas desde frutas a legumes cozidos (cenoura em palitinhos, abobrinha).

Uma dica: a alimentação é mais uma descoberta, dentre tantas nessa fase da vida. Deixar o bebê explorar cores, formas, texturas, temperaturas com as mãos, os pés, os olhos, etc… Faz parte! Essa fase de “sujeira” passa rápido. Deixe que isso aconteça em casa, e deixe que seja uma experiência rica, para favorecer uma alimentação bem diversificada na vida adulta.

Gostaram? Eu amei!! Quer conversar com a nutricionista ou fazer uma palestra na sua escola sobre alimentação? Então não deixe de anotar o contato:

Giovana Bagarollo Rossi, CRN 20.393. Nutricionista formada pela Universidade Paulista, pós-graduanda em Nutrição humana aplicada à prática clinica, com tese defendida sobre introdução da alimentação complementar, palestrante para crianças e pais sobre o mundo da nutrição!

giovana.nutri@gmail.com

0

Como montar a lancheira do meu filho? Delícias para a hora do recreio!

Olá mamães!!

A alimentação saudável deve acontecer dentro e fora de casa. Não adianta fazer com que seu filho coma tudo certinho em casa e lá na escola, para a hora do lanche, colocar um monte de produtos industrializados na lancheira.

Recebi um monte de dicas legais da nutricionista Diana B. S. Soares sobre como preparar o lanchinho das crianças, então resolvi escrever este post para vocês! Espero contribuir para recreios mais nutritivos, crianças mais saudáveis e mamães mais felizes e tranquilas 🙂

Como montar uma lancheira saudável para seus filhos?

Atenção mães e pais para a alimentação de seus filhos na escola! Em todos os momentos precisamos ficar atentos para que a alimentação das crianças seja sempre saudável e gostosa.

Uma atenção maior deve ser dada quando a criança está na escola, pois é um local onde os pais não estão por perto! Saborear diariamente uma comida nutritiva ajuda na construção de hábitos alimentares mais saudáveis. O problema é que fora de casa a oferta por comidas industriais é tentadora e perigosa. Conversar com os filhos sobre os desafios e os benefícios de se alimentar bem fora de casa é uma forma de mostrar a eles os benefícios e a importância de uma boa alimentação, sempre e em qualquer lugar. Mas que tal dar uma mãozinha a eles e preparar lanchinhos saborosos e saudáveis para a escola?

Aqui estão alguns alimentos interessantes para compor um lancheira saudável:

  • Frutas secas: damascos, uvas passas, maçã, abacaxi ou banana desidratada;
  • Oleaginosas – para crianças maiores, que mastiguem bem: castanhas, nozes, amêndoas, amendoim;
  • Biscoitos integrais: de todos os tipos, hoje existem muitas opções – cuidado com o excesso de sódio, analise o rótulo antes de comprar;
  • Pães integrais para os sanduíches naturais;
  • Bolos simples, feitos com farinha de aveia (é só trocar em qualquer receita, metade da farinha de trigo por farinha de aveia- fica ótimo!);
  • Polenguinho;
  • Frutas diversas e salada de frutas;
  • Cereais tipo Granola ou aveia rico em fibras-;
  • Barras de cereais e barras de frutas;
  • Torta salgada feita em casa;
  • Milho cozido e debulhado;
  • Pipoca feita em casa
  • Iogurtes

Em prol de mais saúde para os nossos filhotes, vamos excluir da lancheira:

  • Refrigerantes (ricos em sódio)
  • Sucos industrializados (eles podem conter muito açúcar, prefira um suco natural preparado em casa ou na escola)
  • Salsicha
  • Pão branco
  • Alimentos gordurosos, tais como batata fritas, balinhas e salgadinhos (gordura favorece a diabetes)
  • Macarrão instantâneo (alta concentração de sal)
  • Chocolates e doces

Dicas importantes!

  1. Para conservar melhor as propriedades do suco natural, prepare antes da criança ir para escola, mas calcule o tempo para que dê para colocar o suco no freezer antes dela sair. Deixe quase congelado. Acondicione-o em garrafa térmica. Assim é possível beber horas depois sem aquele gosto de suco velho. Os nutrientes são mantidos mesmo que o suco seja consumido no recreio.
  2. Para lanches e iogurtes é importante uma lancheira térmica para conservação da temperatura.
  3. Não deixe de higienizar a lancheira todos os dias na volta da escola.
  4. LEMBRE-SE: a alimentação saudável e todas essas dicas devem ser seguidas em casa também, para que a criança se adapte e conheça os alimentos que levará para escola!

Essas dicas foram dadas pela nutricionista Diana B. S. Soares, para quem quiser conhecer mais o seu trabalho, segue o contato:
Diana B. S. Soares,  CRN3:29616
Nutricionista formada pela Universidade de São Paulo, Especialização em Nutrição Clinica pelo Centro Universitário São Camilo, Especialização em Nutrição Esportiva pelo GANEP, Trabalha como nutricionista clinica no Hospital da Santa Casa de São Paulo e com atendimento particular e Personal Diet na Assessoria Nutricional e Esportiva Nutri-Esportes.
facebook.com/nesporte
www.nutri-esportes.com

Beijinhos e até a próxima 🙂

asupermammy.com

facebook.com/asupermammy

1

O que que tem na sopa do neném? 3 receitinhas para quem tem bebê em casa!

Olá mamães,

as papinhas que preparo para o meu bebê são o maior sucesso aqui em casa. Quer a receita? Separei as três mais pedidas para vocês rsrsrs espero que seus bebês gostem!!! Ah, para quem se interessar, pelo menos 2 vezes por semana adiciono duas colheres da papinha do bebê na comida dos meus filhos mais velhos, dê uma lida no post, é só clicar: Seu filho não come direito? Veja como turbinar as refeições dele sem que ele perceba.

Receita nº 1: Papinha de Espinafre.
Ingredientes:

  •     1 maço de espinafre
  •     5 batatas pequenas a médias
  •     3 cenouras médias
  •     Fio de azeite
  •     1/2 dente de alho
  •     Salsinha a gosto
  •     500 ml de água filtrada

Modo de fazer:
Coloque em uma panela com 500 ml de água todos os ingredientes limpos e descascados, menos a salsinha e o azeite. Deixe amolecer os alimentos mais duros e depois bata tudo no liquidificador. Coloque na panela o azeite, junte o conteúdo batido do liquidificador e desligue o fogo. Adicione a salsinha. Rende 6 porções de puro ferro !!!

Fotor06110276

Receita nº 2: Papinha de Frango com milho.
Ingredientes:

  •    300 g de peito de frango
  •     3 batatas
  •     2 cenouras
  •     1 espiga grande de milho
  •     1 a 2 dentes de alho
  •     1/2 cebola pequena
  •     Vagem
  •     500 ml de água filtrada
  •     Azeite para refogar

Modo de fazer:
Coloque em uma panela o azeite, a cebola e o alho bem picadinhos e refogue o frango. Adicione todos os legumes, incluindo o milho sem a espiga junto com a água. Deixe cozinhar. Depois é só bater no liquidificador e voltar à panela para adicionar a salsinha. Essa receita rendeu o jantar e mais quatro potinhos.

Fotor06111029

Receita nº 3: Papinha de Carne com Legumes
Ingredientes:

  •     300 g de carne bovina magra
  •     3 batatas
  •     4 cenouras
  •     8 buquês de brócolis
  •     1 a 2 dentes de alho
  •     1/2 cebola pequena
  •     Vagem
  •     500 ml de água filtrada
  •     Azeite para refogar
  •     Cebolinha
  •     Suco de uma laranja

Modo de fazer:
Coloque em uma panela o azeite, a cebola e o alho bem picadinhos e refogue a carne. Adicione a cenoura, batata e brócolis e mais o suco de laranja. Junte metade da água e deixe cozinhar por 5 minutos. Depois, acrescente a vagem bem picadinha e um dente de alho e deixe ferver até amolecer a batata (coloque mais água se precisar). Bata no liquidificador a carne, as batatas, cenouras, e brócolis e depois junte com o caldinho de laranja, legumes e vagem picadinha que ficaram na panela. Adicione a cebolinha para finalizar. Essa receita rende 6 porções caprichadas.

Fotor06111329

 

Tem dúvidas sobre Quando oferecer a primeira papinha ao neném? Leia e fique tranquila.

Gostaram? Espero que sim!!!

Um beijo para todas as Super Mammys 😉

1

Quando oferecer a primeira papinha ao bebê?

Olá mamães! Quem é que tem neném em casa? Eu tenho! E junto com essas coisinhas fofas vem um montão de dúvidas sobre tudo: amamentação, banho, soninho, vacinas e muito mais. Lá por volta dos 4 meses de vida nós, mamães, começamos a nos preocupar com a alimentação do bebê, afinal, como toda mãe coruja, dá um medão só de pensar em faltar algum nutriente para o nosso bebê.

O leite materno (na maioria das vezes) é suficiente para nutrir – e muito bem – um bebê até os seus primeiros 6 meses de vida. Então, é aí que se inicia a colorida e vitaminada fase da papinha. Quando meu terceiro filho estava com 5 meses de vida, chegou uma cartinha do nosso convênio falando sobre a primeira papinha do bebê. Achei incrível as dicas, conversei com minha pediatra e compartilho com vocês a minha experiência.


Quando começar?

Mais ou menos por volta dos seis meses. Como nenhum bebê é igual ao outro, essa idade pode variar entre o 5º mês e o 7º. Para não ter dúvidas, o seu bebê estará pronto para a primeira papinha quando:

  • a sua cabecinha já estiver estável e firme;
  • se interessar pelos alimentos que as pessoas comem ao seu redor;
  • conseguir colocar coisas na boca sozinho.

Como preparar a papinha do bebê?

Clique aqui e veja 3 receitas de papinha de dar água na boca!!

Beijinhos e até a próxima 🙂

3

Seu filho não come direito? Veja como turbinar as refeições dele sem que ele perceba.

Oi gente!
Hoje vou deixar umas dicas para incrementar a comida do seu filho. Seja porque ele não come nada, quer apenas certos alimentos ou porque detesta verduras, esses conselhos vão deixá-lo com água na  boca e até mais saudável.
Aqui em casa meus filhos comem bem, mas não comem de tudo. Minha preocupação é grande porque eles almoçam na escola, mas como não se adaptam de jeito nenhum com a comida alemã, praticamente passam o dia sem algo “de sustância”!
Fico aflita, claro! Até porque um deles é mais magrinho e aí a gente já pensa que tá doente, sabe aquela coisa de “ser rechonchudo é saudável”? Então, é lenda, eu sei, mas às vezes esse mito da vovó assombra rsrs.
Essas dicas eu faço em casa, mas quem tiver mais ideias me ajuda vai, passa a receitinha nos comentários!! A gente agradece 🙂

Misturando papinha do bebê na comida!
É, parece uma ideia de louco, mas ajuda muito. Na papinha do bebê sempre tem muita vitamina vinda das hortaliças, dos legumes, raízes e carnes. Então pensei: “vou misturar isso na comida das crianças e eles não vão nem perceber.” Deu certo, mas duas colheres de sopa basta se não corremos o risco de sermos descobertas. Misturei no feijão 2 colheres de espinafre (1 maço) batido com batata (2 médias). Vejam só:Nem dá para perceber, né? Como o feijão preto tem um gostinho bem acentuado, o espinafre passa despercebido e eles recebem todas as propriedades deste rico alimento, tais como: vitaminas A, B, C, E e F, fibras, cálcio e ácido fólico. Além de tudo isso o espinafre é um maravilhoso antioxidante. Gostaram?

Suco de Maracujá com Couve.

Suco de maracujá é uma delícia, as crianças adoram e eu encontro aqui na Alemanha em algumas épocas 🙂 Então aproveito para comprá-los e até congelo a poupa para usar depois. O suco com couve é uma ótima opção de nutrição. Eu faço um suco com 2 maracujás (gosto mais fortinho, não tão aguado) e adiciono as folhas de couve aos poucos, pois controlo a cor para não deixar o suco muito verde. Eu adoço porque suco azedo ninguém merece! Mas não exagero no açúcar porque suco melado aí já é demais. Também podem usar mel, mas neste suco acho que não combina. Experimentem! O maracujá tem vitaminas A, C e algumas do complexo B. Além disso, apresenta boa quantidade de sais minerais. Já a couve (no caso couve-manteiga) é rica em fibras, fonte de ferro, cálcio, vitamina C e antioxidantes.

Arroz integral com arroz branco.

Na hora de fazer arroz, misturo grãos integrais com o arroz branco e refogo normalmente. Minha medida é exatamente 50% de cada tipo. Também comecei a usar macarrão integral aqui em casa, já faz uns 3 meses e ninguém nota a diferença!

Suco de Laranja com cenoura e limão.

Na verdade deveria chamar suco de cenoura com laranja e limão. Bata no Liquidificador 3 cenouras grandes com 300ml de água gelada. Prepare uma jarra de suco de laranja sem água e adicione 1 limão inteiro exprimido. Depois misture o suco de cenoura com o suco de laranja e limão e adoce /na maioria das vezes não adoço esse suco, experimente antes e veja a necessidade, quanto menos açúcar melhor. Mas tem que ser gostoso!

Carne moída com cenoura e tomate.

Eu vivo inventando na carne moída, porque eles adoram e comem um pratão.  Ah! Aqui na Alemanha compro carne moída com apenas 5% de gordura (normalmente tem 30%), acho mais gostosa (e mais saudável). Só uma curiosidade daqui: os alemães comem carne moída suína e é muito comum encontrar no mercado o que eles chamam de “gemischtes Hackfleisch” que nada mais é do que 50% carne de porco e 50% carne de vaca tudo moído e misturado. Segue a receitinha para 500 gr. de carne: refogar no azeite uma cebola picadinha e um dente de alho grande. Colocar a carne moída e refogar, acrescentando 2 cenouras raladas, 2 tomates picados sem pele e sem semente. Adiciono sal, pimenta do reino, 1 colher (sopa) e 1/2 de mostarda, 1 vidro pequeno de azeitona verde sem caroço. Refogo mais. Por último coloco cebolinha e salsinha bem picadinha.

Espaguete de Abobrinha.

Essa receita é uma delícia! Eu peguei no blog “Panelaterapia” vale a pena!! Deem uma olhadinha na receita. As crianças comeram, disseram que é um macarrão mole rsrss, mas gostaram!! O molho pode ser à bolonhesa. O que acham?

Carne de panela com tudo o que tem direito.

Acho minha carne de panela uma delícia, modesta parte 😉 As crianças comem super bem e eu aproveito a oportunidade para acrescentar vegetais que dão uma super consistência para o molho da carne. Refogue meio quilo de carne no azeite com uma cebola média picada e um dente de alho grande. Acrescente 1 cenoura e 1 abobrinha cortadas em rodelas finas, 2 tomates picados sem pele e sem semente, 1 linguiça calabresa cortada em rodelas, 1 vidro pequeno de azeitonas (pretas ou verdes) sem caroço e 1 colher de mostarda. Sal e pimenta do reino a gosto. Deixo cozinhar por 30 minutos. Depois abro a panela, retiro a carne e misturo bem o molho (a cenoura e a abobrinha derretem e nem mostram “as caras”!) e acrescento cebolinha e salsinha bem picadinha. Deixo apurar e misturo com a carne! Sirvo com arroz e batatinha palha.

Arroz feito com caldo de cenoura e beterraba.

Bato no liquidificador 1 cenoura e 1/2 beterraba cozida com 500 ml de água e coo. Pronto! Essa é água que utilizaremos para o cozimento deste arroz. Fica saboroso e colorido. Para acompanhar filézinhos de frango grelhados ou assados no forno e vagem com alho (ah, vagem tem direto aqui em casa porque eles comem sem eu precisar pedir 1000 vezes) 🙂

Disfarçar os alimentos não é o ideal, eu sei :/

Sei, mamães, que o ideal não é ficar disfarçando os alimentos, afinal até quando isso irá durar? Mas acho que cheguei num ponto que prefiro vê-los nutridos. E essa foi a forma que encontrei de alimentá-los com variáveis ingredientes, porque senão eles iriam apenas jantar arroz e feijão – que é o que eles gostam – uma vez que na escola eles praticamente não almoçam  (e eu não posso mandar comida).Mas uma coisa eu faço sempre, ofereço aquilo que está escondido na sua forma natural. Aos pouquinhos – bem aos pouquinhos – eles estão comendo, e o tomate, a alface, a cenoura crua, a vagem e o brócolis não precisam mais de “suas fantasias de agentes secretos” para nutrirem meus filhos.

Beijos e bom feriado 💋

0

Bolinhos de Chuva!!! Hum… receitinhas diferentes de dar água na boca!

Ontem bateu aquela vontade dos sabores do Brasil! E para matar um pouco esse desejo, resolvi ir para cozinha com as crianças e preparar um maravilhoso bolinho de chuva. Gravei um vídeo para vocês, ou melhor, pensei que gravei. Deixei a câmera gravando e não me dei conta que estava no finalzinho da bateria! :/ Mas tudo bem! Estava uma delícia e a criançada mais uma vez amou a experiência de cozinhar! 🙂

Separei algumas receitinhas para vocês. Faça chuva ou faça sol essa maravilha de BOLINHO é sempre bem vinda!!

Gostaram? Então deixem uma mensagem!

Beijos à todas as mamães 🙂

0

Como manter os bons hábitos alimentares do bebê quando ele já está um mocinho?

Bons hábitos alimentares para todas, o assunto de hoje é sobre: comida!

Pois é, Mamães, os bebês crescem. Buá! – Vai entender o coração de uma mãe, a gente quer e ao mesmo tempo não quer que eles cresçam! No fundo, todas nós esperamos que nossos filhos se desenvolvam saudáveis ao nosso lado. Para isso, alimentar-se bem é necessário. E quando eles chegam perto do seu primeiro aniversário, podem e devem se sentar à mesa na hora das refeições.

Mas o que colocar no prato? Pretty little girl biting an apple

A alimentação de um bebê, quase sempre é super nutritiva e saudável. Primeiro porque até os 4 meses (ou 6 meses, vai depender do país que você mora, do pediatra ou se o leite é materno/fórmula) as crianças bebem o leitinho que contém tudo o que elas precisam. Depois, introduzimos as frutinhas, e com o tempo, passam a se alimentar com legumes e carnes, todos misturados e batidos em forma de papinhas! Quer alimentação mais saudável do que esta?

Acontece que com a chegada dos dentinhos, muitos pais acabam dando as deliciosas (mas prejudiciais) guloseimas, como bolachas, biscoitos e salgadinhos. Além disso, outro hábito que não acrescenta nada na saúde, é que muitos continuam dar aos seus filhos as papinhas e outros produtos comprados nos mercados e disponíveis especificamente para alimentação dos bebês. Segundo uma pesquisa aqui na Alemanha, cerca de 90% das crianças com 12 meses recebe esses potinhos com papinhas prontas. E 33% dessas crianças continua a comê-las até os seus 2 anos de vida. O professor Berthold Koletzo, pediatra e porta-voz do Conselho Consultivo Científico sobre a saúde infantil, revela que essas papinhas contém nutrientes mas que não devem ser dadas às crianças depois do seu primeiro aniversário, isso porquê nessa faixa etária as crianças já podem comer quase tudo, e devem receber os nutrientes e vitaminas de várias fontes.

Sentar à mesa com a família faz bem.

Com um ano de idade a criança deve se alimentar daquilo que os pais comem. Melhor dizendo, aquilo que os pais comem de bom (ou deveriam comer). Algo nutritivo, gostoso e saudável: arroz, feijão, verduras, legumes, carnes magras, peixes, frutas, massas, …

Nessa idade, as crianças devem participar do jantar em família e comer de tudo (cuidado, claro, com os alimentos “que engasgam” e com aqueles, como o morango, cheios de agrotóxico!). Assim, o “ritual” de passagem da alimentação de bebê para a alimentação infantil é feito, e podemos agora aproveitar as coisas boas que essa mudança pode proporcionar:

  • A refeição em família faz com que a criança sinta o prazer de se alimentar, e ainda proporciona momentos descontraídos, de conversa e interação familiar. (é claro que às vezes rola um stress, principalmente quando a criança não quer comer – mas essa conversa a gente deixa para outro dia!).
  • Proporciona um efeito positivo sobre o que escolher para se alimentar. Muitas vezes, o hábito alimentar da criança é parecido com o do seus pais, por isso, o melhor a fazermos é darmos bons exemplos. Todo mundo ganha comendo mais saudável!
  • Deixar a criança se alimentar sozinha desde cedo ajuda a torná-la independente nesta função e ainda reforça e estimula o desenvolvimento motor. Claro que você vai encontrar de brócolis aos milhares de grãos de arroz em baixo da mesa, mas vale a pena. Pois com o tempo, essa sujeira toda diminui e seu filho estará sentindo o prazer de se alimentar bem e sozinho.
  • Televisão desligada na hora das refeições, sempre. Aliás, aqui em casa a televisão só pode no fim de semana, uma mudança positiva feita aqui em casa, que depois escrevo para vocês. É comprovado que quem come diante a televisão, ingeri mais alimentos do que o necessário e come mais rápido, o que não é saudável.

IMG_5147

Formar bons hábitos alimentares nos nossos filhos é uma tarefa difícil. Afinal, quase sempre é uma mudança que deve começar por nós. Eu que o diga! Amo (muito mesmo – amor a primeira vista) bacon e coca cola! Mas quando a gente tem filho, há uma responsabilidade e tanta nesta função, que nos modifica, nos transforma, nos faz ser e viver melhor, sempre.

P.S. Ainda como bacon, escondida! E a coquinha esperta durante a semana, não é coca cola, é chá preto!

Ótimo fim de semana a todas e boa alimentação!